PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Ceará tem rajadas de vento acima de 50 km/h

O registro de ventanias é percebido desde a última segunda-feira, 12, principalmente próximo à faixa litorânea. Mas, época de rajadas mais fortes é a partir de agosto

15:10 | 14/07/2021
Ventos na orla de Fortaleza, na Praia de Iracema. (Foto: Aurelio Alves/ O POVO)
Ventos na orla de Fortaleza, na Praia de Iracema. (Foto: Aurelio Alves/ O POVO)

No segundo semestre do ano, as rajadas de vento começam a ficar mais frequentes, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

No entanto, a Fundação afirma que a temporada dos ventos fortes no litoral do Ceará tem seu auge nos meses de agosto e setembro.

O registro de rajadas de vento acima de 50 km/h é percebido desde a última segunda-feira, 12, principalmente próximo à faixa litorânea.

Neste mês de julho, os maiores registros foram:

Jericoacoara: 52,2 km/h

Redenção: 51,4 km/h

Iguatu: 51,1 km/h

Em Fortaleza, até o momento, a velocidade mais expressiva registrada foi de 40,3 km/h”, avalia a Funceme.

LEIA MAIS | Ceará de vento e mar: turismo de aventura atrai 10% dos visitantes

As rajadas de vento das últimas 24 horas, 13 e 14 de julho, apontam ventos de 37 km/h em Barbalha, Fortaleza e Iguatu. Já em Morada Nova e Jaguaruana, os valores são de 36 km/h e 35km/h em Crateús. Em Jericoacoara, conforme os dados disponibilizados pela Funceme, as velocidades dos ventos estão um pouco mais rápidos, registrando51 km/h.

O aumento gradual da velocidade dos ventos no segundo semestre ocorre porque o Ceará fica no “meio do caminho” entre a alta pressão do Atlântico sul e a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), fazendo com que os ventos alísios fiquem mais intensos e constantes.

Além dos registros mais expressivos, as rajadas, que são eventos pontuais, também costumam ficar mais contínuas e podem chegar aos 60 km/h. As rajadas mais fortes podem causar animação para quem pratica esportes náuticos à vela, sendo o segundo semestre a melhor época do ano no estado. A região vira destino para praticantes de windsurf e kitesurf.

Entretanto, os ventos fortes podem representar um risco para outros públicos. Os pescadores de Fortaleza tendem a ficar mais cautelosos por causa da maior dificuldades de retornar do mar, pois além de mais intensos, os ventos sopram numa direção diferente, geralmente do continente para o oceano.