PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Força de facções na periferia é investigada em série dirigida por Demitri Túlio e Cinthia Medeiros

Segunda temporada da série original O POVO+ estreia na próxima segunda-feira, 5 de julho. Os novos episódios avançam na investigação sobre as facções para abordar como o crime afeta a vida cotidiana das pessoas que vivem, ou tentem, nos mesmos lugares

22:24 | 02/07/2021
Guerra sem fim, segunda temporada (Foto: Abertura Raphael Góes)
Guerra sem fim, segunda temporada (Foto: Abertura Raphael Góes)

A vida e a morte em periferias em todo o Ceará estão sob controle de facções criminosas. A presença se mostra nos homicídios, mas também nos direitos aos quais as pessoas podem ou não ter acesso.

A moradia é exemplo extremo e recorrente, com centenas de famílias expulsas de casa. Mas, também a educação, a saúde, a mobilidade. A depender de onde mora, a criança não pode estudar em determinada escola. A família não pode ir ao posto de saúde. Não pode pegar ônibus que passe em território sob controle da facção rival. Às vezes, uma rua, uma avenida, demarca a separação entre dois territórios em guerra. A forma como os grupos criminosos organizados interferem, e por vezes controlam, a vida em áreas periféricas de cidades cearenses é tema da segunda temporada de Guerra sem fim, série original O POVO+, que estreia na segunda-feira, 5 de julho. ASSISTA AQUI À SEGUNDA TEMPORADA DE GUERRA SEM FIM

Como aquecimento para a segunda temporada, OP+ libera acesso ao primeiro episódio da primeira temporada de Guerra sem fim para não assinantes. Veja como as facções se uniram para lançar o Ceará em calamidade pública: ASSISTA AQUI (aberto para não assinantes)

A série é dirigida pelos jornalistas Demitri Túlio e Cinthia Medeiros. "Guerra sem fim é uma série que documenta, com especialistas e vítimas, o momento delicado da segurança pública no Ceará. O Estado todo é atingido pelo problema das facções, mas a periferia de Fortaleza e da Região Metropolitana experimentam mais ainda as violações desses grupos armados", explica Demitri, diretor e também roteirista da série.

"Nesta segunda temporada, a narrativa avança sobre os impactos que a ação das facções tem sobre a vida das pessoas, principalmente os moradores da periferia", explica a diretora e coordenadora de produção Cinthia Medeiros.

"Contamos essas histórias não apenas a partir do olhar de especialistas e representantes de instituições governamentais, mas principalmente pelo ponto de vista de quem vive esse drama, sente na pele. Ouvimos pessoas que foram expulsas de suas comunidades, ouvimos vítimas da ação das facções, mães que perderam filhos na guerra das facções, nesses territórios de violência. Ouvimos jovens que já estiveram do lado de lá, mas conseguiram mudar a rota. Tudo com muita delicadeza, muito cuidado", reforça.

A segunda temporada traz três episódios:

1. “Refugiados urbanos”, que aborda o problema de famílias expulsas de suas casas por facções criminosas

2. “GDE: como nasce uma facção”. Discute a origem de um grupo armado nascido na periferia de Fortaleza.

3. “Juventude sobrevivente”, que revela casos de jovens que conseguem sobreviver nesses territórios dominados pelo terror por meio da arte.

"Guerra sem fim é a primeira série original do O POVO+. Estreou junto com o OP+, no ano passado. O fato de a gente estar retomando esse assunto um ano depois se dá porque esse contexto das facções no Ceará, em Fortaleza, ainda não se esgotou. Ainda é uma questão que a cidade convive", explica o assistente de direção e edição, Arthur Gadelha. "Essa segunda temporada aproxima ainda mais dessa experiência da população, da cidade, com as facções".

Nos três episódios, a série mostrará a realidade de quem é capaz de romper a lógica dos grupos criminosos nos territórios. "Mostraremos qual o impacto que essas facções têm na geografia da cidade, na população, a forma como a cidade avança e se move. E também, o olhar sobre como é possível estar fora desse meio. Como é possível fugir dessa realidade que é tão pouco discutida para ser transformada", complementa Gadelha.

Participam da série os sociólogos Thiago de Holanda (Rede Acolhe da Defensoria Pública), Camila Holanda (Uece), Luiz Fábio Paiva (UFC/Lev), o deputado Renato Roseno (Comitê de prevenção aos homicídios na adolescência da Assembleia Legislativa), o secretário municipal da Juventude, Davi Gomes, os jornalistas Lucas Barbosa e Thiago Paiva, o tenente-coronel da PM Hideraldo Belini, os artista Jardz Remido, Felipe Rima, Jô Costa e outros.

GUERRA SEM FIM, SEGUNDA TEMPORADA

Direção
Demitri Túlio
Cinthia Medeiros

Coordenação de produção
Cinthia Medeiros

Direção de fotografia
Fco Fontenele
Julio Caesar

Assistência de direção e edição
Arthur Gadelha

Edição
P.H. Diaz

Abertura
Raphael Góes

Mais de Guerra Sem Fim:

1ª temporada, episódio 1: A onda de violência (aberto para não assinantes)

Quando as facções criminosas no Ceará se uniram contra as ações rígidas dentro das penitenciárias, gerando a maior onda de violência do Estado. Como isso aconteceu?

1ª temporada, episódio 2: Tribunais do Crime

O funcionamento interno das facções criminosas no Ceará: como punem seus próprios integrantes?

1ª temporada, episódio 3: Caminhos do Crime

A entrada em organizações como as facções é um dos caminhos trilhados pelo crime. O que influencia esse cenário? Como é possível fugir do crime?