PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Sem tripulantes, lancha que sumiu de Noronha pode chegar ao Ceará; entenda

Sem considerar naufrágio e furto, a embarcação Maria Bonita poderá chegar ao litoral de Aracati nos próximos dias. Barco está sumido desde o dia 27 de maio

Marília Freitas
10:29 | 11/06/2021
Lancha pode chegar ao Ceará nos próximos dias. Alertas já foram emitidos pela Marinha brasileira (Foto: Divulgação/Embarcação Maria Bonita)
Lancha pode chegar ao Ceará nos próximos dias. Alertas já foram emitidos pela Marinha brasileira (Foto: Divulgação/Embarcação Maria Bonita)

Não é roteiro de filme de terror: há cerca de 15 dias, uma lancha de quase 20 metros de comprimento possivelmente vaga à deriva, sem tripulantes, e pode chegar ao Ceará nos próximos dias. O barco, nomeado Maria Bonita VI, está sumido desde o dia 27 de maio e foi visto pela última vez em um porto de Fernando de Noronha. 

A curiosa história surgiu na coluna Histórias do Mar, mantida por Jorge de Souza, no site UOL. O dono de Maria Bonita VI, Paulo Fatuch, contou sobre o sumiço da lancha. "É uma sensação esquisita. Só sabemos que o mar levou a lancha embora e ninguém acha".

O barco estava ancorado no porto de Fernando de Noronha e seu sumiço foi detectado pelo mestre responsável pela embarcação, Francisco Melo - mais conhecido como 'Patico'. Segundo o tripulante, a noite anterior ao sumiço da lancha foi de bastante ventania, o que causou o rompimento do cabo da ancoragem. "Mas o que não é comum é que ela não tenha sido encontrada em seguida, perto da Ilha", lamentou.

Patico chegou a navegar cerca de 100 quilômetros a procura da lancha, mas não a encontrou. Para ele, a ventania continuou forte no decorrer da noite, empurrando a lancha para bem longe. Mesmo cogitando um possível naufrágio, Patico mantém a esperança do reencontro. "Desde que ela sumiu, não estou nem conseguindo dormir direito. Fico toda hora olhando para o celular, na esperança de que surja alguma notícia", disse o marinheiro. Ele trabalha com viagens com o barco pela Ilha há mais de oito anos.

Clique na imagem para abrir a galeria

A hipótese da correnteza é a mais desejada por Pitico e Paulo. "Se ela apenas foi levada pela correnteza, deve aparecer em uma praia do Ceará nos próximos dias, especialmente na região de Aracati, onde já foram dar alguns barcos que desgarraram da Ilha", torce o empresário. Pescadores da região, inclusive, já foram avisados sobre a possível chegada do barco.

A distância entre a Ilha e o litoral cearense é de mais de 600 km: em cerca de 15 dias, a travessia do trecho seria concluída, coincidindo com o mesmo período desde que a lancha desapareceu na ilha. Segundo Jorge, o Ceará é apontado como possível local de encontro pois a embarcação possivelmente foi levada por uma famosa corrente marinha que passa rente à ilha e vem até o litoral do Estado.

Através da Capitania dos Portos de Pernambuco, a Marinha foi acionada e já emitiu um aviso aos navegantes da região para que ajudem a encontrar a lancha. Possivelmente à deriva, o barco representa um perigo à navegação, pois pode ser atingido por outras embarcações durante a noite.

O furto ainda é considerado, pois Maria Bonita deixou Fernando de Noronha com bastante combustível no tanque e com a chave no contato - um hábito na Ilha, onde, segundo Jorge, os casos de furto de barco são praticamente nulos. Segundo Paulo, a lancha tem capacidade para 28 pessoas, três cabines, duas salas e uma cozinha. Velha conhecida em Fernando de Noronha, costuma ser disputada pelos turistas para passeios em torno da Ilha e não ter seguro por já ser um barco antigo, com mais de 20 anos de uso.

Segundo o colunista, barcos sem ninguém a bordo que são levados pelo mar e ficam à deriva são casos bastante comuns. Jorge relembra o caso de Alex Thompson, um velejador inglês que, em 2006, precisou abandonar seu barco no litoral africano devido a uma avaria mecânica. Dez anos depois, a embarcação foi encontrada na costa chilena, a mais de 10 mil km de distância.