PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Associação oferece apoio jurídico e psicológico gratuito a mulheres vítimas de violência

O atendimento é feito de forma remota; inscrições podem ser feitas até esta sexta-feira, 14

11:13 | 13/05/2021
Equipe da Associação Marta (foto tirada antes do início da pandemia) é composta por psicólogas e advogadas, que prestam serviços de escuta solidária e assistência jurídica de forma gratuita e online a mulheres vítimas de violência  (Foto: Reprodução/ WhatsApp)
Equipe da Associação Marta (foto tirada antes do início da pandemia) é composta por psicólogas e advogadas, que prestam serviços de escuta solidária e assistência jurídica de forma gratuita e online a mulheres vítimas de violência (Foto: Reprodução/ WhatsApp)

A Associação Marta criou uma campanha chamada Marta Escuta, que funciona com o objetivo de prestar apoio jurídico e psicológico gratuito às mulheres vítimas de violência no Brasil. A rede de apoio funciona de forma online. As inscrições para quem busca atendimento seguem até sexta-feira, 14.

A necessidade do isolamento social na pandemia, em muitos casos, colocou em confinamento vítima e agressor. No ano de 2020, o Brasil registrou 105.821 denúncias de violência contra a mulher nas plataformas do Ligue 180 e do Disque 100. Os dados foram fornecidos pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Diante do grande número de casos de violência contra a mulher, a Associação criou mais uma edição da campanha para ajudar as mulheres vítimas de violência, “trazendo conforto a elas e mostrando que a rede de apoio ainda existe, mesmo com o confinamento”.

Como solicitar ajuda

Orientação sugerida pela própria Associação é que o contato inicial seja por meio de uma das redes sociais do projeto: Instagram (@associacaomarta) ou Facebook (Associação Marta). “A mulher que deseja atendimento deve mandar uma mensagem para alguma dessas redes sociais, manifestando seu interesse”, informou a Associação.

Por meio desse primeiro contato, é enviado um formulário para a mulher preencher com as informações dela e, logo em seguida, ela pode ser encaminhada para contato com uma advogada ou psicóloga de plantão. O atendimento pode ser feito pela rede social de preferência da mulher. É possível também deixar agendado o atendimento para o horário que a mulher tiver disponibilidade.

Serviço

E-mail: [email protected]
Instagram: @associacaomarta