PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Águas da transposição do rio São Francisco chegam ao Castanhão

Depois de dez dias percorrendo um caminho de 300 km entre o Cinturão das Águas e o Castanhão, as águas do Velho Chico chegam ao maior reservatório do Ceará

18:37 | 10/03/2021
Passagem molhada na antiga Jaguaribara (Passagem do Pinguelo), onde passam as águas do rio Jaguaribe, por onde chegam as águas da transposição do rio São Francisco, nesta quarta-feira, 10 (Foto: Aurelio Alves)
Passagem molhada na antiga Jaguaribara (Passagem do Pinguelo), onde passam as águas do rio Jaguaribe, por onde chegam as águas da transposição do rio São Francisco, nesta quarta-feira, 10 (Foto: Aurelio Alves)

Após mais de uma década de espera, as águas do Rio São Francisco chegaram ao Açude Castanhão nesta quarta-feira, 10. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana (PT), por meio de suas redes sociais.

O repórter fotográfico Aurélio Alves fez imagens exclusivas da chegada das águas e do Castanhão no dia em que se encontrou com a transposição:

"Momento histórico para o nosso Estado. As águas do São Francisco percorreram os 300 km, incluindo o Cinturão das Águas, e chegaram ao açude Castanhão na tarde desta quarta-feira. Cerca de 4,5 milhões de cearenses serão beneficiados com a garantia hídrica da RMF, Cariri e Baixo e Médio Jaguaribe", disse Camilo.

Clique na imagem para abrir a galeria

O governador lembra que a Comporta do CAC para receber as águas do São Francisco foi aberta no último dia 1º, em Missão Velha, e a previsão inicial era de chegar ao Castanhão em 30 dias, mas as chuvas intensas aceleraram o processo de transferência das águas. Essa foi uma luta de todos os cearenses!", completou.

Leia também | O encontro entre São Francisco e o Castanhão

Além de representar uma garantia hídrica no abastecimento de parte do Ceará, o novo fluxo deve estimular a atividade produtiva rural no Vale do Jaguaribe.

Durante o primeiro dia de março, foi realizada a abertura da comporta do km 53 das obras do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), dando início ao caminho concluído nesta quarta-feira.

CONFIRA OS ESPECIAIS:

À espera de Francisco

As águas de Francisco: expectativa e realidade na peleja da espera

Antes da chegada ao açude Castanhão as águas do Velho Chico, misturadas com as águas da chuva, passaram por Jati, Missão Velha, Icó, Aurora, Lavras da Mangabeira, Jaguaribe e Jaguaribara. Técnicos da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) fizeram o monitoramento diário desde o dia 1º, onde foi aberta a comporta do Cinturão das Águas, e vão continuar com o monitoramento do nível do açude Castanhão para medir a vazão que vai entrando no reservatório.

O professor universitário e médico, Odorico Moraes, que tem aproveitado o momento para fazer registros na região do Castanhão, celebra o marco.

"Todos os cearenses esperam desde o primeiro projeto são 174 anos para que isso pudesse se concretizar, o momento que utilizaríamos as águas do São Francisco. Então, isso criou grande expectativa para a população. Principalmente para as pessoas que dependem da água do São Francisco, e para nós, de Fortaleza, em função do abastecimento da cidade".

Do Castanhão, a água do São Francisco percorre o Eixão das Águas até a Região Metropolitana de Fortaleza, onde abastece a Capital e o Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

Veja o vídeo veiculado pelo governador Camilo Santana:

Águas da transposição do rio São Francisco chegam ao Castanhão | Ceará - Últimas Notícias do Ceará | O POVO Online
PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Águas da transposição do rio São Francisco chegam ao Castanhão

Depois de dez dias percorrendo um caminho de 300 km entre o Cinturão das Águas e o Castanhão, as águas do Velho Chico chegam ao maior reservatório do Ceará

18:37 | 10/03/2021
Passagem molhada na antiga Jaguaribara (Passagem do Pinguelo), onde passam as águas do rio Jaguaribe, por onde chegam as águas da transposição do rio São Francisco, nesta quarta-feira, 10 (Foto: Aurelio Alves)
Passagem molhada na antiga Jaguaribara (Passagem do Pinguelo), onde passam as águas do rio Jaguaribe, por onde chegam as águas da transposição do rio São Francisco, nesta quarta-feira, 10 (Foto: Aurelio Alves)

Após mais de uma década de espera, as águas do Rio São Francisco chegaram ao Açude Castanhão nesta quarta-feira, 10. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana (PT), por meio de suas redes sociais.

O repórter fotográfico Aurélio Alves fez imagens exclusivas da chegada das águas e do Castanhão no dia em que se encontrou com a transposição:

"Momento histórico para o nosso Estado. As águas do São Francisco percorreram os 300 km, incluindo o Cinturão das Águas, e chegaram ao açude Castanhão na tarde desta quarta-feira. Cerca de 4,5 milhões de cearenses serão beneficiados com a garantia hídrica da RMF, Cariri e Baixo e Médio Jaguaribe", disse Camilo.

Clique na imagem para abrir a galeria

O governador lembra que a Comporta do CAC para receber as águas do São Francisco foi aberta no último dia 1º, em Missão Velha, e a previsão inicial era de chegar ao Castanhão em 30 dias, mas as chuvas intensas aceleraram o processo de transferência das águas. Essa foi uma luta de todos os cearenses!", completou.

Leia também | O encontro entre São Francisco e o Castanhão

Além de representar uma garantia hídrica no abastecimento de parte do Ceará, o novo fluxo deve estimular a atividade produtiva rural no Vale do Jaguaribe.

Durante o primeiro dia de março, foi realizada a abertura da comporta do km 53 das obras do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), dando início ao caminho concluído nesta quarta-feira.

CONFIRA OS ESPECIAIS:

À espera de Francisco

As águas de Francisco: expectativa e realidade na peleja da espera

Antes da chegada ao açude Castanhão as águas do Velho Chico, misturadas com as águas da chuva, passaram por Jati, Missão Velha, Icó, Aurora, Lavras da Mangabeira, Jaguaribe e Jaguaribara. Técnicos da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) fizeram o monitoramento diário desde o dia 1º, onde foi aberta a comporta do Cinturão das Águas, e vão continuar com o monitoramento do nível do açude Castanhão para medir a vazão que vai entrando no reservatório.

O professor universitário e médico, Odorico Moraes, que tem aproveitado o momento para fazer registros na região do Castanhão, celebra o marco.

"Todos os cearenses esperam desde o primeiro projeto são 174 anos para que isso pudesse se concretizar, o momento que utilizaríamos as águas do São Francisco. Então, isso criou grande expectativa para a população. Principalmente para as pessoas que dependem da água do São Francisco, e para nós, de Fortaleza, em função do abastecimento da cidade".

Do Castanhão, a água do São Francisco percorre o Eixão das Águas até a Região Metropolitana de Fortaleza, onde abastece a Capital e o Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

Veja o vídeo veiculado pelo governador Camilo Santana: