PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Ceará tem maior índice do País de alunos em tempo integral no ensino fundamental público

Margem chega a 28,5%, conforme dados do Censo 2020 divulgados nesta sexta-feira, 29, pelo Inep

Érico Firmo
16:04 | 29/01/2021
PROTOCOLO determina que salas de aula sejam arejadas e garantam distanciamento entre alunos (Foto: JÚLIO CAESAR)
PROTOCOLO determina que salas de aula sejam arejadas e garantam distanciamento entre alunos (Foto: JÚLIO CAESAR)

O Ceará atingiu em 2020 28,5% de estudantes do ensino fundamental da rede pública matriculados em tempo integral. O percentual é o maior do Brasil, de acordo com o Censo Escolar 2020, divulgado nesta sexta-feira, 29, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Entre os alunos da rede pública do ensino médio matriculados em tempo integral, o Ceará fica na terceira colocação, atrás de Pernambuco e Paraíba.

Proporção de alunos em tempo integral matriculados na rede pública de ensino fundamental por unidade da federação - Brasil 2020

 

Ceará: 28,5 %

Piauí: 16,3 %

Tocantins: 15,9 %

Maranhão: 13,3 %

Alagoas: 13,1 %

Rio de Janeiro: 12,9 %

Paraíba: 9,8 %

São Paulo: 9 %

Paraná: 7,7 %

Goiás: 7,3 %

Distrito Federal: 6,6 %

Minas Gerais: 6,5 %

Bahia: 5,9 %

Rio Grande do Sul: 5,1 %

Mato Grosso do Sul: 5 %

Amazonas: 4,9 %

Espírito Santo: 4,9 %

Santa Catarina: 4,3 %

Pernambuco: 3,7 %

Rio Grande do Norte: 3,7 %

Mato Grosso: 3,6 %

Pará: 2,4 %

Rondônia: 2,1 %

Acre: 1,7 %

Sergipe: 1,5 %

Amapá: 0,4 %

Roraima: 0,1 %

VEJA AQUI OS RESULTADOS DO CENSO ESCOLAR 2020

O panorama brasileiro apresenta redução do percentual de matrículas em tempo integral. O percentual já chegou a ser de 15,3% nos anos iniciais, em 2017, e 12% nos anos finais do ensino fundamental. Já em 2020, na média nacional, há 7,6% de alunos matriculados em tempo integral nos anos iniciais do ensino fundamental e 6,9% nos anos finais.

Os números do Ceará sobre o ensino fundamental representam uma diferença superior a 12 pontos percentuais em relação ao segundo colocado, o Piauí, que tem 16,3% de alunos da rede pública do ensino fundamental em tempo integral. Os números mostram força do Nordeste em relação a essa política. Além do primeiro e segundo lugar, a região tem também o quarto lugar com o Maranhão (13.3%) e o quinto, com Alagoas (13,1%). O terceiro é o Tocantins (15,9%).

Ensino médio

O Nordeste se destaca ainda mais entre as matrículas em tempo integral na rede pública no ensino médio. Nesse caso, o Ceará não está no topo. O primeiro é Pernambuco, que chega a 54,6%. Depois vem a Paraíba, com 45,9%. O Ceará, em terceiro, tem 30,8%. Além dos três primeiros lugares, o Nordeste tem o quarto lugar, Alagoas (25,3%), o quinto, Sergipe (23,3%), e o Piauí, 18,1%, em sexto.

Proporção de alunos em tempo integral matriculados na rede pública de ensino médio por unidade da federação - Brasil 2020

 

Pernambuco: 54,6%

Paraíba: 45,9%

Ceará: 30,8%

Alagoas: 25,3%

Sergipe: 23,3%

Piauí: 18,1%

Tocantins: 16,6%

Amapá: 16,4%

Rio de Janeiro: 15%

Espírito Santo: 14%

Rio Grande do Norte: 14%

São Paulo: 12,6%

Rondônia: 12%

Santa Catarina: 11,4%

Goiás: 11,3%

Amazonas: 11,1%

Acre: 10,5%

Roraima: 10,5%

Mato Grosso: 9,9%

Mato Grosso do Sul: 9,2%

Maranhão: 9%

Minas Gerais: 7,7%

Bahia: 5,4%

Distrito Federal: 4,9%

Rio Grande do Sul: 4,5%

Paraná: 3,1%

Pará: 2,7%

Diferentemente das matrículas no ensino fundamental, as matrículas em tempo integral no ensino médio vêm em alta no Brasil desde 2016, tanto na rede pública quanto na particular.

Na rede privada, passou de 3,8% em 2016 para 5,4% em 2020. Já na rede pública, foi de 6,7% para 13,8%.

Em 2020, a data de referência do Censo Escolar foi antecipada de maio para março em virtude da pandemia de covid-19 e consequente interrupção das atividades presenciais na maior parte das escolas. Dessa forma, a pesquisa apresenta um retrato da situação das escolas em um contexto anterior à pandemia, não refletindo, portanto, seu impacto na educação. (Com Agência Brasil)