PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Homem foragido de três estados é preso em Rondônia suspeito de trazer drogas para o Ceará

Francisco Rodrigues dos Santos, conhecido como "Bodim" ou "Bode Branco", é procurado pelas Justiças do Ceará, Piauí e Amazonas. Ele desembarcou no Ceará na última quarta, 2, onde ficará detido

Gabriela Feitosa
12:35 | 03/12/2020
Imagens da operação da Polícia Civil que prendeu homem acusado de praticar tráfico de drogas entre Rondônia e Ceará (Foto: Divulgação)
Imagens da operação da Polícia Civil que prendeu homem acusado de praticar tráfico de drogas entre Rondônia e Ceará (Foto: Divulgação)

Um homem foragido das Justiças do Ceará, Piauí e Amazonas, identificado como Francisco Rodrigues dos Santos, foi preso pela Polícia Civil em Rondônia após investigação apontá-lo como suspeito de trazer drogas para o Ceará. A rota escolhida por Bodim ou Bode Branco (como Francisco é conhecido) liga Porto Velho a Fortaleza, em um total de 3.700 quilômetros de distância. As informações foram repassadas em coletiva no fim da manhã desta quinta-feira, na sede da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (Dnarc), no Bairro de Fátima.

Ele foi preso por um mandado de prisão preventiva, na última segunda-feira, 30 de novembro, e foi transferido para o Estado nesta quarta. Bodim resistiu à prisão e nada foi encontrado com o suspeito. A cúpula do grupo que ele faz parte movimentava cerca de R$ 3 milhões por mês com tráfico de cocaína.

Ele vai retornar para o sistema penitenciário cearense e foi capturado na última terça, 1°, após troca de informações entre as Polícias Civil do Ceará e Rondônia. O suspeito desembarcou na quarta-feira, 2, no Ceará e foi conduzido pela equipes da Denarc. Há pelo menos três anos ele vivia escondido após fugir de uma unidade prisional no Ceará. Ele estava usando documentos falsos, mas ainda assim foi localizado e preso em Porto Velho. Outros seis mandados de prisão preventiva foram cumpridos também na mesma data, com participantes com menores cargos dentro de outras quadrilhas. Todos os cumprimentos foram relacionados ao tráfico de drogas. 

De acordo com Marciliano Ribeiro, delegado adjunto do Departamento de Polícia Judiciária Especializada, Francisco Rodrigues faz parte de uma facção local e é suspeito de ser o responsável por remessas de entorpecentes, especificamente cocaína, para abastecer e financiar o mercado consumidor de drogas comandando por integrantes de uma organização criminosa local. Harley Filho, titular da Draco, detalha que a investigação existe desde dezembro de 2018 e foi possível, nesse período, mapear, detalhar e conhecer todo o funcionamento da quadrilha. "Pela cúpula desse grupo local, eles transacionavam cerca de R$ 3 milhões por mês em drogas", informa o delegao O negócio entre "Bodim" e a organização envolvia grandes quantias em dinheiro e era feito de forma direta com os chefes da cúpula cearense. Agora, a Polícia Civil trabalha para traçar as relações entre o distribuidor dos ilícitos e outros alvos responsáveis pelo recebimento do narcotráfico em território cearense.

Francisco tem um histórico de registros criminais extenso. Somente no Ceará, ele responde a três procedimentos por tráfico de drogas, dois por homicídio e um roubo a banco, além de ser alvo da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) por integrar organização criminosa. Mandado de prisão preventiva foi expedido no início do mês. "Bodim" também é investigado por tráfico de drogas.

Conforme Polícia cearense, o suspeito tem uma longa trajetória de participação ativa em ações criminosas, com foco no narcotráfico.

A prisão

De acordo com Alisson Gomes, titular da Dnarc, a Polícia conseguiu por meio de informações de inteligência de que Francisco Rodrigues, que é cearense, estaria escondido na cidade de Porto Velho, em Rondônia. Foram feitos contatos com a Polícia Civil da cidade e foi confirmado que o alvo estava em um determinado endereço. “As investigações o apontam como o principal articulador do envio da droga dessa região de fronteira para o Estado do Ceará”, informa. Destaca-se ainda a participação do Departamento de Inteligência Policial (DIP).

Com dados sobre a localização de Francisco, a Polícia Civil do Ceará compartilhou informações com a Polícia de Rondônia para realizar a prisão do suspeito. Enquanto isso, agentes da Denarc Ceará se deslocavam de Fortaleza para Porto Velho com objetivo de recambiar o investigado de volta para uma prisão do Estado. O suspeito foi encontrado em uma residência no bairro Rio Madeira, onde foram encontrados documentos falsos com nome de terceiros. Francisco não esboçou reação durante abordagem e estava com a esposa no momento da prisão

 

Prisão do irmão

 

O que a Polícia Civil já sabe é que as negociações entre Francisco e um segundo grupo criminoso no Ceará eram intermediadas pelo irmão dele, identificado por Reginaldo Rodrigues dos Santos, de 33 anos. Ele tem passagens por tráfico de drogas, posse de droga e homicídio. "Vassoura" ou "Ratinho", como Reginaldo é conhecido, foi preso portando documento falso na terça-feira da semana passada, dia 24. A prisão aconteceu em Fortaleza, no bairro Bom Jardim.

Reginaldo também foi autuado por tráfico de drogas, na posse de dois quilos de cocaína e por corrupção ativa, após ter oferecido a quantia de 100 mil reais para que os agentes não cumprissem a operação.

Reginaldo também teve um mandado de prisão preventiva cumprido pelos crimes de tráfico de drogas interestadual e associação para o tráfico. No imóvel onde estava residindo, em um flat na orla de Fortaleza, foram localizados vários documentos de imóveis avaliados em mais de 1 milhão de reais em propriedades. Um veículo avaliado em R$ 70 mil que estava com o suspeito foi apreendido.

A aliança entre os irmãos e o arranjo feito com integrantes de grupos criminosos em atividades ilícitas está sendo investigado. Os investigadores cearenses irão aprofundar o trabalho com intuito de produzir mais provas que liguem os alvos a outros crimes já em apuração, assim como identificar desdobramentos para outras práticas criminosas cometidas pelos irmãos.

Com informações da repórter Angélica Feitosa.