PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Crianças acham bomba "rasga lata", arremessam contra órgão público e causam incêndio

As duas crianças envolvidas no ocorrido tem 9 e 10 anos e segundo relataram à Polícia, encontraram o material explosivo, popularmente conhecido como "rasga lata", na rua

Alan Magno
07:46 | 19/11/2020
As duas crianças envolvidas no incêndio tem 9 e 10 anos e segundo relataram à Polícia, encontraram o material explosivo, semelhante a fogos de artifício, na rua (Foto: Divulgação SSPDS)
As duas crianças envolvidas no incêndio tem 9 e 10 anos e segundo relataram à Polícia, encontraram o material explosivo, semelhante a fogos de artifício, na rua (Foto: Divulgação SSPDS)

Duas crianças, uma de 9 e outra de 10 anos, foram as responsáveis pelo incêndio que atingiu o pátio do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) da cidade de Caririaçu e destruiu completamente dez motocicletas. O caso ocorreu na tarde de terça-feira, 17, e foi solucionado nesta quarta-feira, 18. Ninguém ficou ferido.

A investigação da Polícia Civil do Estado do Ceará confirmou que as crianças acharam o material explosivo, semelhante a fogos de artifício e popularmente conhecido como “rasga lata”, na rua em frente ao órgão público. Segundo a investigação, diante do achado, elas decidiram acender o pavio e arremessar o artefato por cima do muro do Demutran.

O material caiu em uma parte do terreno que estava coberto por vegetação seca e, ao explodir, deu início ao incêndio. O calor intenso e os ventos fortes na região ajudaram na rápida propagação das chamas, segundo inquérito da PCCE. O fogo acarretou em perda total de dez motocicletas que estavam estacionadas no pátio do Demutran.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, os próprios funcionários da entidade atuaram e conseguiram apagar o incêndio com uso de extintores e de um caminhão pipa, antes que este se espalhasse ainda mais.

Apuração do caso envolveu agentes da Delegacia Municipal de Caririaçu, em conjunto com a Delegacia Regional de Juazeiro do Norte, que um dia após o ocorrido, conseguiram encontrar os responsáveis. Na delegacia, as crianças foram ouvidas diante da presença dos pais e de advogados e confessaram que de fato arremessaram o artefato explosivo.

Ainda de acordo com informações da PCCE, as crianças contaram que não esperavam que isso causaria um incêndio e se disseram arrependidas. Um Boletim de Ocorrência foi registrado após as partes serem ouvidas.