PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Interior do Ceará teve quase mil focos de incêndio em vegetação em agosto; novas queimadas ocorrem nesta quarta

Os municípios cearenses de Iguatu e Acopiara, localizados na região Centro-Sul, registraram incêndios em vegetação na início da tarde desta quarta-feira, 2.

Matheus Facundo
19:52 | 02/09/2020
Foco de incêndio em Iguatu, na localidade de Fomento, na tarde desta quarta-feira, 2 (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros Iguatu)
Foco de incêndio em Iguatu, na localidade de Fomento, na tarde desta quarta-feira, 2 (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros Iguatu)

No último mês, o interior do Ceará registrou quase mil focos de incêndio em vegetação, sendo em sua maioria ocasionados por ação criminosa. De acordo com o tenente-coronel Nijair Araújo, do Corpo de Bombeiros de Iguatu, os polos onde a maioria dos eventos se concentraram foram as regiões de Sobral, Iguatu e Juazeiro do Norte. O segundo semestre no Estado costuma ser de intensas queimadas. Novos focos apareceram nesta quarta-feira, 2.

Os municípios cearenses de Iguatu e Acopiara, localizados na região Centro-Sul, registraram incêndio em vegetação na início da tarde desta quarta-feira, 2. Segundo o Corpo de Bombeiros, os focos já foram totalmente controlados. Em Acopiara, no bairro Nova Acopiara, aproximadamente seis hectares de terreno foram queimados. Já em Iguatu, a ocorrência foi na localidade de Fomento, que teve cerca de 2 km de área de vegetal queimada. No total, seis mil litros de água foram utilizados para debelar o fogo nos dois locais.

Apesar de o calor e os ventos fortes comuns desta época do ano contribuírem, a maior parte dos incêndios é criminoso, conforme o tenente-coronel Nijair Araújo. 1% dos registros são de causas naturais, onde o próprio ambiente entra em combustão enquanto 90% é de natureza criminosa. Os outros 9% são ocasionados por imprudência e imperícia no manejo das vegetações.

LEIA MAIS| Vegetação pega fogo em bairro de classe média alta de Sobral; cobra jiboia é encontrada queimada

Incêndio em área verde próxima ao bairro Cidade dos Funcionários volta a se espalhar nesta quarta

"Nosso pedido é sempre de educação e prevenção. Como não é fácil conseguir prevenir esses incêndios com muita facilidade, pedimos o apoio da população com a denúncia. Até agora, não há nenhum suspeito sequer de ter praticado os crimes. Isso além de repercutir as estatísticas também influencia novas pessoas a continuar com essa prática de queimadas", pontua Araújo, que é comandante do 4º Batalhão de Bombeiros Militar de Iguatu.

Ainda segundo o tenente, em 2019, 92% dos focos de incêndio em vegetação ocorreram no segundo semestre. A tendência é que o índice se mantenha neste ano, visto o volume de acontecimentos já contabilizado.

Dicas de prevenção

Nunca jogar resto de cigarro ainda aceso ou qualquer outra fonte de calor, por menor que seja, em locais onde haja vegetação, menos ainda se esta vegetação estiver seca;

Para as pessoas que viajam bastante, evitar jogar lixo pela janela do carro é essencial para que as queimadas sejam evitadas, pois esse lixo jogado poderá servir de alimento para o fogo;

Em caso de acampamentos, a fogueira precisa ser feita em locais onde não haja vegetação, principalmente seca ou a faça bem perto de um rio, observando o sentido do vento para que as centelhas desse fogo ou fumaça não iniciem um possível incêndio florestal;

Nunca se deve soltar balão, em hipótese alguma, pois estes também são um dos maiores causadores de queimadas, e por isso não soltá-los é uma maneira de evitá-las;

Nunca usar fogo para queima de lixo ou para a limpeza de plantação;

Próximo às estradas e torres de transmissão, o ideal é providenciar uma aceiro (limpeza de um terreno em volta de propriedades, matas e coivaras, para impedir propagação de incêndios) nas proximidades, de modo a evitar, em caso de incêndio, que este se alastre.

Também nesse ano, o Corpo de Bombeiros lançou a Operação Floresta Branca, com foco na prevenção. Nesses tempos de pandemia, como a corporação não pode fazer trabalho corpo a corpo com a população, todas as informações e alertas estão sendo feitos por outros canais, como as redes sociais.