PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Seis foragidos da Justiça beneficiados com Auxílio Emergencial são alvos de operação da Polícia Civil e do MP

A operação aconteceu nesta terça, 9. A Polícia Civil cumpriu seis mandados de prisão

12:54 | 10/06/2020
Pagamento do auxÍ­lio emergencial na Caixa Econômica (Foto: Fabio Lima/O POVO) (Foto: FÁBIO LIMA)
Pagamento do auxÍ­lio emergencial na Caixa Econômica (Foto: Fabio Lima/O POVO) (Foto: FÁBIO LIMA)

A Polícia Civil do Ceará cumpriu seis mandados de prisão em Fortaleza nesta terça, 9. A Operação Revelação, do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), que contou com o apoio da Coordenadoria de Planejamento Operacional (COPOL) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, teve como alvos foragidos da Justiça que receberam o auxílio emergencial do Governo Federal, pago em razão da pandemia do novo coronavírus.

Os mandados foram cumpridos na Comarca de Fortaleza. Entre os crimes cometidos pelos foragidos estão homicídio, latrocínio, tráfico de drogas, estupro, roubo, receptação e participação em organizações criminosas.

Em alguns casos, as penas dos suspeitos acumulavam até 20 anos de prisão. Segundo as investigações do MPCE, parte dos foragidos integrava facções criminosas e participou ativamente de crimes de homicídios, roubos e tráfico de drogas registrados pela Polícia nesse período da pandemia.

Auxílio Emergencial

As investigações apontaram que o nome dessas pessoas estavam na lista indevidamente para receber o auxílio emergencial. O benefício financeiro é destinado aos trabalhadores informais, Microempreendedores Individuais (MEI), autônomos e desempregados, e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o promotor de Justiça Adriano Saraiva, que integra o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPCE, as investigações começaram por conta do aumento da violência durante a pandemia. As apurações apontaram que pessoas com mandado de prisão em aberto estariam recebendo o auxílio emergencial destinados aos trabalhadores afetados pela doença. "Há fortes indícios de que parte dos foragidos estaria envolvida nos últimos crimes de roubo, assaltos à mão armada e até de homicídios. Vários deles são traficantes, homicidas e estupradores", informa.

A operação segue em andamento nesta quarta, 10.