PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Tasso elogia Moro e diz nunca ter enfrentado governo "tão despreparado"

Tucano afirmou que Bolsonaro se ocupa de outros problemas e se esquece da crise pela qual o País passa

Carlos Holanda
12:02 | 30/04/2020
Senador Tasso Jereissati (PSDB)  participou de teleconferência organizada pelo Lide Ceará
Senador Tasso Jereissati (PSDB) participou de teleconferência organizada pelo Lide Ceará (Foto: Agência Senado)

Diante do avanço da pandemia do novo coronavírus pelo Brasil, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) afirmou nunca se lembrar de "enfrentar um governo tão despreparado" como considera ser o de Jair Bolsonaro (sem partido).

"Em vez de estar liderando o combate à pandemia, o presidente está criando problemas e esquecendo completamente dessa crise [da pandemia] que estamos vivendo", disse o cearense ao portal de notícias UOL.

Tasso é dos que, entre Moro e Bolsonaro, fica com o ex-ministro, por entender que a agenda anticorrupção se dissolveu após a saída dele.

Para minar a influência do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e consolidar uma base de apoio no parlamento, o presidente Jair Bolsonaro tem se aproximado de parlamentares do bloco chamado Centrão. As negociações consistem em indicações a cargos federais pelos deputados e senadores, em troca de votos favoráveis às matérias de interesse do Planalto. O vice-presidente Hamilton Mourão já havia definido a postura como um novo tipo de diálogo com o Congresso.

A nova postura, porém, é o que Bolsonaro criticou durante a campanha e o que se entende por "velha política". "Ou seja, ao invés de repudiar os políticos que ele chamava de fisiológicos, se alia a esses políticos. Tem uma guinada radical no caminho", afirmou Tasso.

"SOMOS OPOSIÇÃO"

Questionado sobre como o PSDB deve se posicionar em relação ao Governo, Tasso respondeu que as bandeiras do partido e do ministro Paulo Guedes (Economia) são similares. Contudo, prosseguiu o senador, outros valores relevantes à agremiação são a democracia e a impessoalidade.

"E Bolsonaro nesta área tem se tornado, pelo o que tem dito e até tomado algumas ações, o oposto dessa pedra sagrada que nós temos. Somos oposição e aquilo que nos conforta em política econômica, principalmente, damos todo o apoio."

CORONAVÍRUS

No aspecto da saúde, embora empresário e apesar dos impactos na economia, ele defende o isolamento social como método mais eficaz na contenção do vírus. Em audiência pública remota com o ministro da Saúde Nelson Teich nessa quarta-feira, 29, ele afirmou que o discurso do governo é dúbio, ou seja, não adota postura única sobre a necessidade ou não do distanciamento.