PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Proposta de Geoparque no Sertão Central é publicada pelo Serviço Geológico Brasileiro

As áreas são de relevante interesse pelas formações rochosas, pinturas rupestres e patrimônio paleontológico

Lucas Braga
15:24 | 20/03/2020

Um geoparque no Sertão Central cearense é planejado para a valorização e preservação das belezas naturais. A proposta de oficializar o Geoparque Sertão Monumental Quixadá-Quixeramobim teve início esta semana com a publicação de relatório do Serviço Geológico Brasileiro (CPRM). O documento oferece subsídios técnicos à circunscrição institucional do ambiente natural.

Hoje o Brasil tem apenas uma área do tipo, que fica no Ceará: o GeoPark Araripe. No mundo, há outros 126 geoparques reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Se aprovado, o geoparque Sertão Monumental deve atrair estrutura turística à região voltada ao lazer, ciência e educação. Esta é também uma expectativa. 

Os geoparques são áreas com paisagens de grande relevância geológica internacional, denominados de geossítios e sítios de geodiversidade. A administração desses territórios é voltada à proteção, educação e desenvolvimento sustentável, envolvendo as comunidades locais. Se atendidos esses critérios, o local recebe um selo da Unesco e passa a integrar uma rede mundial.

Quixadá-Quixeramobim

O novo relatório do CPRM traz a descrição geológica (rochas) e geomorfológica (relevo) e dos demais aspectos ambientais do território da proposta do Geoparque Sertão Monumental.

O documento foi criado junto a técnicos e pesquisadores do CPRM, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e da Secretária do Meio Ambiente do Ceará (Sema).

Felipe Monteiro, geógrafo, espeleólogo e professor do IFCE de Quixadá, foi um dos autores da proposta. Ele explica que 20 geossítios e sítios da geodiversidade foram selecionados na proposta: dois geossítios de relevância internacional, onze sítios de relevância nacional e sete sítios de relevância regional. A relevância internacional é, dentre outros critérios, atribuída pela produção científica sobre aquelas áreas.

“Temos geossítios com inscrições rupestres muito relevantes, elementos da geomorfologia e até fósseis da megafauna. É uma área menos pesquisada do que o Cariri, ainda é um grande celeiro a ser desbravado”, pontua.

A próxima fase é a apresentação do projeto para a comunidade do Sertão Central, assim como organizações não-governamentais e movimentos sociais. Diálogos com governos e empresários devem estar nos passos seguintes.