PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Moradores de Fortaleza e RMF reclamam de insegurança e falta de serviços públicos

Comércios no bairro Parque Santa Maria fecharam as portas. Escolas não funcionaram nesta sexta. Em Caucaia, os postos de saúde fecharam mais cedo

Jéssika Sisnando
09:43 | 29/02/2020

Moradores dos bairros da Grande Messejana, como Parque Santa Maria, Pedras e também do município da Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), reclamam da falta de segurança e de serviços públicos. Durante o período da paralisação dos policiais militares, comerciantes, moradores e pessoas que necessitam de serviços públicos são os que mais sofrem com a situação. 

A insegurança fez com que comércios do bairro Parque Santa Maria, Grande Messejana, fechassem as portas mais cedo, na noite da quinta-feira, 27. Mensagens de WhatsApp, sem origem determinada, ordenavam aos comerciantes que fechassem as portas.

Por causa da insegurança, os proprietários de estabelecimentos decidiram encerrar os atendimento, conforme O POVO apurou com moradores. As crianças matriculadas na Escola Poeta Otacílio Colares, localizada no bairro Ancuri, em Fortaleza, receberam a informação de que, nesta sexta-feira, 28, não haveria aula.

Moradores também reclamaram da situação de Caucaia, que registrou crimes de assalto e homicídio nos últimos dias. Ainda, nesta sexta-feira, 28, o atendimento nos postos de saúde foi interrompido.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Caucaia informou que encerrou o expediente de algumas unidades de Atenção Primária à Saúde (UAPS) "pouco antes do previsto" nesta sexta-feira, 28.

De acordo com o órgão, apesar de receber apoio na segurança, por parte da Guarda Municipal de Caucaia, a Secretaria "achou prudente preservar a segurança dos seus profissionais médicos e de usuários", informou.

Em Fortaleza, o prefeito Roberto Cláudio, em coletiva de imprensa, informou que foi repassado aos sindicatos de profissionais de saúde que há a ronda permanente da Guarda Municipal. E também relata que surgiram novas demandas com hospitais 24 horas de atendimento na Capital. O prefeito afirma que foi garantida a segurança na entrada de cada uma das unidades, com seguranças armados.

Conforme Roberto Cláudio, desde o primeiro dia da paralisação dos policiais militares a Guarda Municipal está em contato com a Ciops e trabalhando com as forças da segurança pública, inclusive as forças federais."O efetivo está 100% e com potencial máximo de viaturas e horas extras", informou. 

Sobre a situação no Santa Maria, a Assessoria que cuida da Operação Mandacaru informou que mantém rotina de patrulhamento em Fortaleza.

"Com o intuito de manter a tendência de queda nos índices, a Operação Mandacaru mantém sua rotina de Patrulhamento a pé e motorizado nos bairros da capital cearense, entre eles: Aerolândia, Castelão, Parque dos Irmãos, Passaré, Mata Galinha, Cajazeiras, Barroso, Messejana, Paupina, Ancuri, Jangurussu, Parque Manibura, Cambeba, Alto da Balança, Cidade dos Funcionários, Cambeba, Parque Iracema, Coaçu, Barroso, Lagoa Redonda, Sabiaguaba, Lagoa Sapirana (Coité), Varjota e Aldeota. Além disso, conforme a Operação vai tomando ciência de casos específicos, como os relatados na pergunta, tem tomado providências no sentido de apurar e decidir a melhor linha de ação", afirma a nota.