PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Produção agrícola no Ceará avança em 42 produtos; safra de grãos foi 10,65% menor em 2019

Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA)

16:30 | 08/01/2020
A agricultura, dizem estudos, será uma das áreas afetadas pelo aquecimento global
A agricultura, dizem estudos, será uma das áreas afetadas pelo aquecimento global (Foto: Tatiana Fortes)

Dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) 2019, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que houve ampliação na colheita de 42 produtos agrícolas no Ceará. Houve redução em 13 produtos, enquanto outros 15 não possuem base de comparação com o ano anterior. 

O documento, divulgado nessa quarta-feira, 8, analisou o período de 16 de novembro de 2019 a 15 de dezembro de 2019. Do grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas, composto por 15 produtos, nove apresentaram crescimento na produção, comparando com 2018. São eles: feijão de arranca de 1ª safra, feijão-de-corda de 2ª safra, milho irrigado, sorgo granífero, fava, milho semente irrigado e sequeiro*, algodão herbáceo de sequeiro e mamona.

Além disso, seis produtos tiveram redução na produção obtida em 2019, sendo eles arroz irrigado e de sequeiro, feijão-de-corda de 1ª safra, milho de sequeiro, sorgo granífero e amendoim.

*agricultura de sequeiro é uma técnica agrícola para cultivar terrenos onde a pluviosidade é diminuta

Safra de grãos foi 10,65% menor do que 2018

Apesar de 2019 ter tido mais chuvas do que 2018, a safra foi menor. A produção obtida foi de 564.608 toneladas para a safra de grãos. Porém, em comparação à safra obtida em 2018 (631.897 toneladas), a redução foi de 10,65%. Esta diminuição ocorreu porque tanto a área plantada como o rendimento dos dois principais produtos (milho grão de sequeiro e feijão de corda de 1ª safra) foram menores em 2019.

Expectativa de produção de 928 mil toneladas de frutas frescas

No grupo de frutas frescas, 19 produtos apresentaram crescimento na produção, enquanto seis apresentaram redução. Com isso, a produção esperada é de 928.616 toneladas de frutas. Em relação à safra obtida em 2018, equivalente a 888.229 toneladas, o crescimento é de 4,55%.

Apresentaram elevação na expectativa de produção: abacate, acerola, caju (mesa), banana irrigada, goiaba sequeiro e irrigada, graviola, laranja de sequeiro, limão irrigado e de sequeiro, mamão, manga irrigada, melancia de sequeiro e irrigada, ciriguela, tangerina sequeiro, uva, ata irrigada (pinha) e de sequeiro (pinha).

Apresentaram redução na expectativa de produção: banana sequeiro, manga sequeiro, laranja (sequeiro), maracujá, melão (irrigado) e tangerina irrigada. Na safra 2019, seis produtos respondem por 84% do total da produção de frutas frescas no Ceará: banana (irrigada e de sequeiro), melão irrigado, maracujá, mamão e melancia irrigada.

Confira quais são os produtos que o Ceará mais produz:

Castanha de caju 

Beberibe, Bela Cruz e Cascavel apresentaram maior produção de castanha de caju. No total, em 151 municípios, a safra de castanha de caju em 2019 foi de 87.711 toneladas. Comparando-se à safra 2018 (83.036 t), o crescimento foi de 5,63%.

Mandioca 

Toda a produção é proveniente do município de São João do Jaguaribe. A mandioca de sequeiro apresentou uma produção de 589.727 toneladas, representando um aumento de 2,13%, comparando-se à safra obtida em 2018 (577.428 toneladas). A produção da mandioca irrigada também apresentou crescimento, passando para 25 toneladas, aumento de 150%, sobre as dez toneladas do ano anterior. Este crescimento foi decorrente da elevação de rendimento por causa da maior disponibilidade de água para irrigação.

Cana-de-açúcar 

São Benedito, Guaraciaba do Norte e Viçosa do Ceará produziram mais cana-de-açúcar de sequeiro em 2019. A produção rendeu 506.640 toneladas, o que representa um aumento de 11,21% em relação à produção obtida em 2018 (455.561 toneladas). O aumento decorre das melhores chuvas deste ano, com destaque para os municípios que apresentaram maior produção.

Já a cana-de-açúcar irrigada foi produzida, principalmente, por Cascavel, Barbalha e Beberibe e obteve produção de 72.660 toneladas em 2019, um aumento de 27,34% em relação à produção obtida em 2018 (57.059 toneladas). Os motivos para o crescimento foram: aumento de área, novas áreas que passaram a produzir e maior disponibilidade de água para irrigação.