PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Secretaria de Segurança e PRF não receberam denúncias sobre assaltos na BR-116

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) afirmou ter ido ao local indicado, mas não identificou vítimas ou os supostos assaltantes. A SSPDS informou que não houve registro de Boletim de Ocorrência (B.O) sobre o caso

21:42 | 04/06/2019

O POVO Online recebeu relatos que em determinado trecho da BR-116, assaltantes estariam se aproveitando da via esburacada para entrar em ação, abordando motoristas que diminuem a velocidade dada a precariedade do asfalto na altura do quilômetro 100 da rodovia, onde os suspeitos estariam utilizando armas de fogo. No entanto, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Secretaria de Segurança e Defesa Social (SSPDS) não receberam denúncias sobre os supostos assaltos.

A PRF afirmou ter realizado diligências no local indicado, mas não identificou vítimas ou os supostos assaltantes. Nenhum registro de ocorrência que encaixe nas descrições foi encontrado pela Unidade Operacional. A assessoria também informou que a PRF realiza diariamente rondas ostensivas na região, mas reforçou a importância das vítimas registrarem as ocorrências, para que se possa realizar um trabalho ainda mais direcionado.

A Polícia Rodoviária Federal afirmou já ter realizado operações específicas de combate ao crime na região, a fim de garantir maior segurança aos usuários das rodovias. Conforme as informações divulgadas pela PRF, alguns envolvidos foram presos mas, aparentemente, já estão soltos.

A SSPDS informou que não houve registro de Boletim de Ocorrência (B.O) sobre grupo criminoso que estaria realizando assaltos no local indicado na Área Integrada de Segurança 18 (AIS 18).

O POVO Online também procurou a Delegacia Regional de Russas (11ª Região), que afirmou não ter recebido nenhuma vítima no local para realizar denúncias. Mesmo assim, a Polícia Civil investigará o caso e a Polícia Militar do Ceará (PMCE) intensificou o policiamento ostensivo na região. A nota reforçou a importância do registro do B.O por parte das vítimas para dar continuidade às investigações.

IZADORA PAULA