PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Novo complexo cultural será erguido no terreno do antigo Centro de Convenções

Área de 17,2 mil metros quadrados foi doada para Fundação Edson Queiroz, que assumirá custos da obra

16:50 | 29/05/2019
Área de 17,2 mil metros quadrados foi doada para Fundação Edson Queiroz, que assumirá custos da obra
Área de 17,2 mil metros quadrados foi doada para Fundação Edson Queiroz, que assumirá custos da obra (Foto: Evilázio Bezerra / Arquivo O POVO.Doc 2014)

O Governo do Estado confirmou, na edição de ontem (dia 28) do Diário Oficial (DOE), a doação de um terreno de 17.225 m², situado na avenida Washington Soares, para a Fundação Edson Queiroz. A área pertencia formalmente à Companhia de Desenvolvimento Industrial do Ceará (Codece) e tinha como única edificação o desativado Centro de Convenções Chanceler Edson Queiroz. Pelo acerto feito entre as partes, no local será construído um complexo de arte e cultura, composto por museu, teatro e salas multifuncionais.

Os investimentos para a obra, segundo o DOE, serão todos feitos pela Fundação. Não há valores divulgados nem a descrição de como será o projeto arquitetônico do novo complexo. Ficará exatamente entre a sede da Universidade de Fortaleza (Unifor) e o Centro de Eventos do Ceará (CEC). O governo estadual descreve que o novo espaço terá "retorno imensurável em diversos aspectos, desde o incremento do turismo à elevação do status do Ceará como um polo artístico cultural nordestino". Atualmente, as exposições de obras de artistas nacionais e internacionais, dos clássicos ao modernistas e contemporâneos, acontecem no próprio Museu da Unifor.

Em 1973, o mesmo terreno pertencia à entidade, mas fora repassado ao governo estadual justamente para a construção do antigo Centro de Convenções. Com a inauguração do Centro de Eventos do Estado, em 2012, o Centro de Convenções deixou de funcionar e receber agendamento. No ano seguinte, em 2013, foi até assinado um protocolo de intenções entre o então governador Cid Gomes e a mesma Fundação Edson Queiroz. No lugar do Centro de Convenções seriam erguidos um teatro com 1.800 lugares e dois auditórios para até 400 pessoas. Até dois anos atrás, o imóvel estava numa lista de "bens prioritários para a venda ou concessão" da gestão Camilo Santana.

O então secretário do Planejamento e Gestão (Seplag), Maia Júnior (hoje na Pasta do Desenvolvimento Econômico e Trabalho), informou em janeiro de 2017 que os recursos da possível venda seriam destinados à Previdência Estadual. Os prédios da Exposição Agropecuária e Industrial do Ceará (Expoece), na avenida Sargento Hermínio, do Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira (IPPOO I), na avenida Bernardo Manuel, e da Cavalaria da Polícia Militar, na avenida Washington Soares, estavam nessa mesma lista de bens negociáveis. Antes da doação e após a desativação, o prédio do Centro de Convenções esteve com entulho e mato acumulados no local. após parte ter sido demolida.

Cláudio Ribeiro