PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Morre, aos 91 anos, o mestre da Cultura Antônio Hortênsio

O rabequeiro era mestre da Cultura desde 2005

15:00 | 28/05/2019
O mestre era natural da cidade de Reriutaba
O mestre era natural da cidade de Reriutaba(Foto: Arquivo pessoal)

Morreu nesta terça-feira, 28, aos 91 anos, Antônio Rodrigues Trajano, o mestre da Cultura Antônio Hortênsio. Rabequeiro da Região da Ibiapaba, o mestre estava internado com pneumonia no Hospital Regional Norte em Sobral e morreu por insuficiência respiratória. A informação foi confirmada por Hugo Leonardo Lopes, um dos netos do mestre, e lamentada pela Secretaria da Cultura do Ceará (Secult).

Conforme a pasta, mestre Hortênsio nasceu no dia 4 de julho de 1928 no município de Reriutaba. Ele herdou do pai o gosto pelo ofício do manuseio da madeira. Aos 15 anos construiu sua primeira rabeca. Além da rabeca, o mestre tocava outros instrumentos, como violão e cavaquinho. Ele também consertava e afinava harmônicas e sanfonas. O rabequeiro era mestre da Cultura desde 2005.

Ao O POVO Online, Hugo contou sobre o orgulho e o legado do avô, que tinha “um ouvido apurado e bastante engenhoso". "Trabalhou na construção do açude Araras, na estrada que liga Sobral a Varjota - na época distrito de Reriutaba. Na adolescência, desafiou seu pai em projetar uma lanterna de madeira. O mesmo fez com êxito ganhando um elogio de 'danado'”, compartilha o neto.

O velório do mestre está sendo realizado na casa da família, na comunidade do Olho d'água dos Trajanos, no município de Varjota. O sepultamento ocorre no fim da tarde.

Confira a nota de pesar divulgada pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult):

"Com grande tristeza nos despedimos nesta terça-feira (28/5) do Mestre Antônio Hortênsio, Rabequeiro de Varjota/ Ibiapaba. Nascido em 4 de julho de 1928, no município de Reriutaba – Ce, herdou de seu pai não apenas o nome, mas também o gosto pelo ofício no trato da madeira e seus variados recursos. E, já aos 15 anos, construiu sua primeira Rabeca.

Mestre Hortênsio tocava, além de rabeca, outros instrumentos de corda, como violão e cavaquinho. Consertava e afinava harmônicas, sanfonas. Descoberto pelo escritor e pesquisador Gilmar de Carvalho, era possuidor de um saber em risco de extinção, “tocava de ouvido”, mas com poucos registros de suas composições.

Presença certa nos Encontros Mestre do Mundo, realizados anualmente pela Secult, Antônio Hortênsio recebeu o título de Mestre da Cultura da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, em 2005, na expressão Rabequeiro, e o título de Notório Saber em Cultura Popular pela Universidade Estadual do Ceará – UECE, no ano de 2016.

Mestre Hortênsio está sendo velado em sua residência, na comunidade do Olho d’água dos Trajanos. Varjota, Ibiapaba. O Sepultamento ocorrerá no final da tarde na localidade".

Que Antônio Hortênsio siga na paz e na lua!

A Secult celebra sua vida, sua arte, seu sorriso, sua rabeca!

Nosso eterno agradecimento, mestre!

Redação O POVO Online