PUBLICIDADE
Ceará
Ação de emergência

Começa abertura do novo sangradouro da barragem Granjeiro, em Ubajara

A expectativa das autoridades é que, em até dez horas, 50% do reservatório seja esvaziado

12:13 | 19/03/2019
Abertura do sangradouro estava programada para às 10 horas
Abertura do sangradouro estava programada para às 10 horas

A abertura de sangradouro da barragem Granjeiro, em Ubajara, começou por volta do meio-dia desta terça-feira, 19. A ação estava prevista para as 10 horas, mas atrasou devido à quantidade de rochas encontrada durante o processo de escavação. A expectativa das autoridades é que, em até dez horas, 50% do reservatório seja esvaziado.

O especialista em barragens da Agência Nacional das Águas (ANA), Rogério Menescal, diz que, apesar do atraso, a obra acontece dentro do previsto. Ele explica que a quantidade de rocha encontrada no local é positiva, já que deve ajudar a controlar a erosão. "Vai permitir que a gente solte a água com mais controle. A ideia é que aumente a vazão em torno de 50% do que tem hoje, mas vai depender um pouco da chuva, já que a água da chuva de ontem ainda está chegando", afirma.

A ideia agora é monitorar a barragem nas próximas 24 horas.

O prefeito de Ubajara, Renê Vasconcelos, afirmou que a abertura do sangradouro é momento "crucial" no processo de remoção das famílias ribeirinhas. "Vai haver aporte muito grande no leito do rio. Por isso temos o apelo que as pessoas permaneçam alertas e obedecendo ao chamado da Defesa Civil e da ANA", frisou.

Listen to "#33 - Ubajara: barragem em risco de rompimento" on Spreaker.

Renê Vasconcelos diz que o processo de remoção controlada das pessoas continua acontecendo. O próximo passo, logo após o serviço emergencial, é formar um comitê gestor com produtores locais, lideranças políticas e comunitárias.

"Vamos usar o apoio de representantes a nível estadual, federal e sentar com o governador Camilo Santana e elaborar um plano de ação com o proprietário da barragem para discutir uma maneira para que deixe de apresentar perigo e que também não deixe de existir. Sabemos que muitos produtores dependem da barragem para sua produção diária", explicou.

Com informações da repórter Eduarda Talicy, enviada a Ubajara

Redação O POVO Online