Participamos do

PF investiga fraudes e corrupção em obras do Estádio Castelão

17:38 | Dez. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (15) a Operação Colosseum, para apurar fraudes e pagamentos de propina a agentes públicos e servidores envolvidos no processo de licitação para obras do estádio Castelão, em Fortaleza, entre os anos 2010 e 2013.

Cerca de 80 policiais federais cumpriram 14 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal, em domicílios localizados em Fortaleza, Meruoca (CE), Juazeiro do Norte (CE), São Paulo, Belo Horizonte e São Luís, onde apreenderam mídias digitais, aparelhos celulares e documentos.

De acordo com a Polícia Federal, as investigações começaram em 2017, quando foram identificados indícios de esquema criminoso envolvendo pagamento de propinas para que uma determinada empresa obtivesse êxito no processo licitatório da arena.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

“Apurou-se indícios de pagamentos de R$ 11 milhões em propinas diretamente em dinheiro ou disfarçadas de doações eleitorais, com emissões de notas fiscais fraudulentas por empresas fantasmas”, informou a corporação.

As investigações, de acordo com a Polícia Federal, estão em andamento, com análise de material apreendido na operação e do fluxo financeiro dos suspeitos. Os investigados podem responder pelos crimes de lavagem de dinheiro, fraudes em licitações, associação criminosa, corrupção ativa e passiva.

Ex-governador

Por meio de nota e de publicações nas redes sociais, o ex-governador do Ceará Ciro Gomes confirmou que a residência dele foi alvo de um dos mandados. “O pretexto era de recolher supostas provas de um suposto esquema de favorecimento a uma empresa na licitação das obras do Estádio do Castelão para a Copa do Mundo de 2014”, disse.

No comunicado, Ciro diz não ter nenhuma ligação com os fatos apurados e que não exerceu nenhum cargo público relacionado aos investigados. “Nunca mantive nenhum tipo de contato com os delatores”.

“Chega a ser pitoresco. O Brasil todo sabe que o Castelão foi o estádio da Copa com maior concorrência, o primeiro a ser entregue e o mais barato construído para copas do Mundo desde 2002. Ou seja, foi o estádio mais econômico e transparente já feito para a Copa do Mundo”, disse Ciro Gomes.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags