Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

SP anuncia programa que prevê R$ 47,5 bilhões em investimentos

15:32 | Set. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou, hoje (15), o programa Pró SP que pretende investir R$ 47,5 bilhões em mais de oito mil obras no estado. Segundo Doria, o governo estima que serão gerados 200 mil empregos.

Para 2022, o orçamento do estado prevê investimentos da ordem de R$ 25 bilhões, além de R$ 22,5 bilhões que estão sendo aplicados este ano.

De acordo com o governo, o investimento de maior impacto é a retomada da construção da Linha 6 – Laranja do Metrô, com previsão de investimentos de R$ 15 bilhões. Também estão no programa a construção da Linha 17 do monotrilho e as extensões da Linha 2 Verde do Metrô e da Linha 9, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Outra ação já em andamento é a despoluição do Rio Pinheiros.

Também fazem parte do programa os contornos da Rodovia dos Tamoios, o Hospital Pérola Byington e a concessão rodoviária Piracicaba-Pindorama, com 1.370 quilômetros (km) de extensão.

Hoje (15), a licitação de R$ 1 bilhão em obras do programa Novas Estradas Vicinais, que prevê a recuperação de 456 quilômetros em 54 vias, foi publicada no Diário Oficial do estado.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

São Paulo reduz ICMS para bares e restaurantes

Economia
15:18 | Set. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou hoje (15) a redução na alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para bares e restaurantes do estado de São Paulo, um dos setores mais afetados pela pandemia de covid-19.

Com isso, o imposto será de 3,2%, voltando ao patamar do ano passado. Atualmente, esse imposto estava em 3,69%. A expectativa do governo é que 250 mil estabelecimentos sejam beneficiados com a medida.

“A medida é resultado de muito diálogo do governo com o setor. A redução para 3,2% significa a redução de 13% do ICMS para o estado, uma renúncia fiscal de mais de R$ 100 milhões. Mas é uma medida muito necessária para a retomada do setor, que é grande empregador e gerador de renda”, disse o secretário de Fazenda e Planejamento de São Paulo, Henrique Meirelles.

Além da redução do ICMS, o governador anunciou também o programa de investimentos Retoma SP, para os setores mais afetados pela pandemia, e a criação da linha de crédito Nome Limpo, que deve oferecer R$ 100 milhões para empresários que ficaram com o nome sujo por causa da pandemia.

O Retoma SP pretende ofertar serviços e programas para impulsionar a economia das cidades paulistas. Com isso, trabalhadores, desempregados, estudantes e pequenos empreendedores que necessitam de auxílio, neste momento de retomada, poderão ter acesso a serviços oferecidos pelo governo, tais como o Banco do Povo, o Empreenda Rápido, o Bolsa do Povo e o Mutirão do Emprego. Mais informações sobre esse programa devem ser fornecidas na próxima sexta-feira, segundo o governo. 

Já o Linha Nome Limpo vai oferecer, a partir de outubro, crédito especial de R$ 100 milhões para empresários que ficaram com o nome sujo por causa da pandemia possam regularizar sua situação.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Butantan entrega 5,1 milhões de doses da CoronaVac ao governo

Saúde
14:53 | Set. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Instituto Butantan enviou hoje (15), ao Ministério da Saúde, mais 5,1 milhões de doses da vacina CoronaVac contra a covid-19, produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Com isso, o governo paulista informa ter cumprido o contrato com o Ministério da Saúde para a entrega de 100 milhões de doses desse imunizante, com uma antecedência de 15 dias.

Pelo contrato, o Ministério da Saúde deve receber 100 milhões de doses da CoronaVac até o dia 30 de setembro. Há meses, o governo paulista informava nas coletivas à imprensa que iria entregar o montante até o final de agosto. Mas não conseguiu cumprir esse prazo de adiantamento.

O problema nessa totalização informada pelo Butantan é que 8 milhões de doses da vacina foram interditadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por terem sido produzidas em uma nova fábrica da Sinovac, que ainda não havia sido inspecionada pelo órgão.

Como essas doses ainda não podem ser aplicadas até que a Sinovac comprove à Anvisa a segurança da produção, o governo de São Paulo decidiu ontem (14) substituir as vacinas. Hoje, o Butantan encaminhou também 1,8 milhão de doses extras para substituir as vacinas que foram interditadas, produzidas a partir de insumo farmacêutico ativo (IFA) enviado pela Sinovac.

Na semana que vem, segundo o instituto, chegará um novo lote de 5 milhões de doses prontas produzidas na fabrica da Sinovac que já foi vistoriada pela Anvisa.

A previsão do Butantan é conseguir substituir todas essas doses interditadas até o dia 29 de setembro.

Meta de vacinação

Em entrevista hoje (15) à imprensa, o governador de São Paulo, João Doria, informou que o estado paulista ultrapassou a meta de vacinação contra a covid-19 em idosos acima de 60 anos, com o esquema de imunização completo. Segundo o governo, mais de 7,3 milhões de pessoas nessa faixa etária estão protegidos contra a doença.

No público acima de 65 anos, foi atingido 100% de cobertura vacinal em todas as estratificações. Já na faixa de 60 a 64 o percentual foi de 93,5%, também acima da meta definida da campanha, que é de ao menos 90% do público-alvo. Agora, o estado começa a vacinar os idosos que concluíram seu esquema vacinal há seis meses com uma dose adicional, já que a proteção tende a cair após esse período.

No decorrer de toda a campanha, iniciada em janeiro de 2021, São Paulo aplicou mais de 57,9 milhões de doses. O número soma 35,92 milhões de aplicações de primeira dose, 20,79 milhões de segunda e 1,15 milhão de dose única, além de 111,6 mil de doses de reforço. O total de pessoas que completou o esquema vacinal no estado é hoje de 47,4%.

Redução de mortes com CoronaVac

O governo de São Paulo apresentou hoje dados, informando que a vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan e a Sinovac, reduziu em 88% as mortes de pessoas com mais de 70 anos no Brasil.

Os dados do Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe) do Ministério da Saúde indicam que a média semanal de mortes por covid-19 entre as pessoas com 70 anos ou mais caiu de 1.316 por dia em 28 de março para 164 em 20 de agosto. A queda de 88% considera todo o território nacional.

Se consideradas apenas as estatísticas de São Paulo, o resultado é semelhante, com redução de 86% no número de óbitos. A média semanal de mortes por covid-19, entre pessoas com mais de 70 anos no estado, caiu de 353 por dia em 28 de março, para 51 em 20 de agosto.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Butantan entrega 5,1 milhões de doses da CoronaVac ao MS

Saúde
14:38 | Set. 15, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Instituto Butantan enviou hoje (15), ao Ministério da Saúde, mais 5,1 milhões de doses da vacina CoronaVac contra a covid-19, produzida pelo instituto em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Com isso, o governo paulista informa ter cumprido o contrato com o Ministério da Saúde para a entrega de 100 milhões de doses desse imunizante, com uma antecedência de 15 dias.

Pelo contrato, o Ministério da Saúde deve receber 100 milhões de doses da CoronaVac até o dia 30 de setembro. Há meses, o governo paulista informava nas coletivas à imprensa que iria entregar o montante até o final de agosto. Mas não conseguiu cumprir esse prazo de adiantamento.

O problema nessa totalização informada pelo Butantan é que 8 milhões de doses da vacina foram interditadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por terem sido produzidas em uma nova fábrica da Sinovac, que ainda não havia sido inspecionada pelo órgão.

Como essas doses ainda não podem ser aplicadas até que a Sinovac comprove à Anvisa a segurança da produção, o governo de São Paulo decidiu ontem (14) substituir as vacinas. Hoje, o Butantan encaminhou também 1,8 milhão de doses extras para substituir as vacinas que foram interditadas, produzidas a partir de insumo farmacêutico ativo (IFA) enviado pela Sinovac.

Na semana que vem, segundo o instituto, chegará um novo lote de 5 milhões de doses prontas produzidas na fabrica da Sinovac que já foi vistoriada pela Anvisa.

A previsão do Butantan é conseguir substituir todas essas doses interditadas até o dia 29 de setembro.

Meta de vacinação

Em entrevista hoje (15) à imprensa, o governador de São Paulo, João Doria, informou que o estado paulista ultrapassou a meta de vacinação contra a covid-19 em idosos acima de 60 anos, com o esquema de imunização completo. Segundo o governo, mais de 7,3 milhões de pessoas nessa faixa etária estão protegidos contra a doença.

No público acima de 65 anos, foi atingido 100% de cobertura vacinal em todas as estratificações. Já na faixa de 60 a 64 o percentual foi de 93,5%, também acima da meta definida da campanha, que é de ao menos 90% do público-alvo. Agora, o estado começa a vacinar os idosos que concluíram seu esquema vacinal há seis meses com uma dose adicional, já que a proteção tende a cair após esse período.

No decorrer de toda a campanha, iniciada em janeiro de 2021, São Paulo aplicou mais de 57,9 milhões de doses. O número soma 35,92 milhões de aplicações de primeira dose, 20,79 milhões de segunda e 1,15 milhão de dose única, além de 111,6 mil de doses de reforço. O total de pessoas que completou o esquema vacinal no estado é hoje de 47,4%.

Redução de mortes com CoronaVac

O governo de São Paulo apresentou hoje dados, informando que a vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan e a Sinovac, reduziu em 88% as mortes de pessoas com mais de 70 anos no Brasil.

Os dados do Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe) do Ministério da Saúde indicam que a média semanal de mortes por covid-19 entre as pessoas com 70 anos ou mais caiu de 1.316 por dia em 28 de março para 164 em 20 de agosto. A queda de 88% considera todo o território nacional.

Se consideradas apenas as estatísticas de São Paulo, o resultado é semelhante, com redução de 86% no número de óbitos. A média semanal de mortes por covid-19, entre pessoas com mais de 70 anos no estado, caiu de 353 por dia em 28 de março, para 51 em 20 de agosto.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Representantes de 15 partidos devem participar de "Vigília da democracia" em São Paulo

Política
13:02 | Set. 15, 2021
Autor Vítor Magalhães
Foto do autor
Vítor Magalhães Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Membros de pelo menos 15 partidos, de variados espectros políticos, devem participar nesta quarta-feira, 15, de um ato intitulado “Em vigília da democracia brasileira”, em São Paulo. Entre os confirmados, estão lideranças como Gleisi Hoffmann (PT) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), o deputado federal Alessandro Molon (PSB) e a senadora Simone Tebet (MDB).

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL), também deve participar. Integrantes de outras legendas, como PDT, PSD, Psol, Podemos, PSDB, PV, PSL, Rede, PCdoB, PL e Cidadania devem participar do evento promovido pelo movimento Direitos Já! e marcado para iniciar às 18 horas. A informação é da coluna Radar, da Veja

O ato terá transmissão nas redes sociais e acesso limitado, contando apenas com lideranças políticas e a imprensa para fins de divulgação.

Veja quem deve participar do ato desta quarta-feira:

Alessandro Molon (PSB), líder da oposição na Câmara dos Deputados
Gleisi Hoffmann (PT), presidente nacional do partido e deputada federal
Luiz Henrique Mandetta (DEM), ex-ministro da Saúde e presidenciável
Marcelo Ramos (PL), vice-presidente da Câmara dos Deputados
Simone Tebet (MDB), senadora cotada como pré-candidata à Presidência
Antonio Neto (PDT), presidente municipal do partido em São Paulo
José Aníbal (PSDB), senador
José Luiz Penna (PV), presidente nacional da legenda
Roberto Freire (Cidadania), presidente nacional do partido
Luciana Santos (PCdoB), vice-governadora de Pernambuco
Igor Soares (Podemos), prefeito de Itapevi (SP)
Fernanda Melchionna (Psol), deputada federal
Junior Bozzella (PSL), deputado federal
Fabio Trad (PSD), deputado federal
Heloísa Helena (Rede), ex-senadora

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Presidente do São Paulo garante permanência de Crespo em caso de eliminação contra o Fortaleza

12:59 | Set. 15, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O São Paulo não vive bom momento na temporada. Já eliminado da Libertadores, o time está a apenas um ponto da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, o Tricolor visita o Fortaleza, pela partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil. Julio Casares, presidente do clube, garantiu a permanência do técnico Hernán Crespo, mesmo em eventual eliminação no torneio.

“Para afastar de vez qualquer infeliz especulação, reafirmo que independente de resultados, o técnico Hernan Crespo seguirá normalmente o nosso planejamento no comando técnico da nossa equipe. Seguiremos a nossa convicção profissional e o que foi traçado com o departamento de futebol”, escreveu em suas redes sociais.

Carlos Belmonte, diretor de futebol, também saiu em defesa do argentino.

"Crespo continua e continuará técnico do São Paulo após a partida de hoje contra o Fortaleza. Essa é uma decisão da Diretoria de Futebol e que tem total apoio do presidente Júlio Casares. Seguiremos com a convicção que temos no trabalho", publicou.

No confronto de ida, no Morumbi, a partida terminou empatada em 2 a 2. Os anfitriões chegaram a abrir uma vantagem de dois gols no marcador, mas cederam o empate na reta final do jogo.

Crespo foi contratado em fevereiro deste ano e, logo de cara, conquistou o Paulistão, dando fim a um jejum de nove anos sem títulos do Tricolor. Contudo, os jogadores do São Paulo sofreram com diversas lesões, o que resultou numa queda de rendimento da equipe.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags