Participamos do

Médium Chico Xavier entra para o Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria

O homem mineiro, um dos principais expoentes do espiritismo, chegou a psicografar mais de 400 livros, que venderam mais de 50 milhões de exemplares. Ele foi eleito como maior brasileiro de todos os tempos em eleição popular do SBT em 2012
22:33 | Set. 06, 2021
Autor Leonardo Maia
Foto do autor
Leonardo Maia Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou a lei para homenagear o médium Francisco de Paula Cândido Xavier, conhecido como Chico Xavier, um dos principais expoentes do espiritismo. A medida inscreve o homem no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria, que conta com outros personagens históricos brasileiros, como Tiradentes, Zumbi dos Palmares e Anita Garibaldi.

De acordo com a lei 11.597/07, sancionada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a inscrição dos nomes no documento “destina-se ao registro perpétuo do nome dos brasileiros e brasileiras ou de grupos de brasileiros que tenham oferecido a vida à Pátria, para sua defesa e construção, com excepcional dedicação e heroísmo”. O projeto para homenagear Xavier, que tem mais de 400 obras psicografadas, é de autoria do deputado federal Giovani Cherini (PL) e o relator foi o senador cearense Eduardo Girão (Podemos).

“Sei que não passo perto de ser merecedor de estar aqui sendo um instrumento porque, para falar de Chico Xavier, não é fácil. Era um homem caridoso, muito humano, que tinha tudo para ser um dos homens mais ricos do Brasil, mas abdicou de tudo. A partir do contato com a sua obra, pude me encontrar como pessoa. Procurei desenvolver algumas atividades para levar o conhecimento da sua obra, de mais de 450 livros, por meio de filmes que tive a benção de produzir e peças de teatro, e vi o que aconteceu comigo e com outras pessoas”, disse Girão em sessão do Senado.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Leia Também | Chico Xavier previu que o mundo viveria "nova era" exatos 50 anos após a chegada do homem à Lua

Quem foi Chico Xavier

Francisco Cândido Xavier, conhecido como Chico Xavier (1910-2002), foi um médium e um dos principais expoentes do espiritismo. Ele dedicou sua vida à divulgação da doutrina espírita e a trabalhos assistenciais, aliados ao reconforto pessoal dos que o procuravam. É autor de aproximadamente 400 livros psicografados e foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz, em 1981.

O médium nasceu na cidade mineira de Pedro Leopoldo, no dia 2 de abril de 1910, filho de um operário e de uma lavadeira. De acordo com biógrafos, a mediunidade de Chico teria se manifestado pela primeira vez aos quatro anos de idade. Aos 17, em 8 de julho de 1927, Chico Xavier fez a primeira reunião pública de serviço mediúnico e começou a psicografar.

Os livros que ele psicografou chegaram a vender mais de 50 milhões de exemplares, com tradução para vários idiomas. Chico Xavier nunca obteve nenhuma remuneração pelas obras, se sustentando como caixeiro de armazém, e, posteriormente, como servidor público. Todo o dinheiro arrecadado com a venda de seus livros foi revertido para obras de caridade. Em uma votação popular pela internet em 2012, o homem foi eleito como o maior brasileiro de todos os tempos em uma promoção do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).

Leia também | Veja cronologia da vida de Chico Xavier

Faleceu como consequência de uma parada cardiorrespiratória, em 30 de junho de 2002, quando o país festejava a conquista do pentacampeonato da Copa do Mundo de futebol. Havia revelado a parentes e amigos próximos que pedira ao mundo espiritual que sua morte ocorresse em um dia em que todos estivessem em festa, para não se entristecerem. “Beijou as minhas mãos, agradeceu e me desejou que eu fosse com Deus e que Deus me abençoasse”, narrou a aposentada Maria Elisa em entrevista ao G1 sobre o dia da partida de Xavier.

(Com Agência Senado)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags