PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Mais um incêndio atinge hospital em São Paulo; aumento de casos durante pandemia preocupa

O incêndio foi causado por conta do mau funcionamento de um equipamento de ar condicionado. O ocorrido é mais um dos 41 casos de incêndios em locais de serviços de saúde registrados este ano no Brasil

23:19 | 21/06/2021
 Fogo começou por volta das 7h30min (Foto: Willian Moreira/Estadão)
Fogo começou por volta das 7h30min (Foto: Willian Moreira/Estadão)

Um incêndio atingiu o Hospital Estadual Pérola Byington, localizado no bairro da Bela Vista, em São Paulo, na manhã desta segunda-feira, 21. De acordo com o Corpo de Bombeiros, fogo começou por volta das 7h30min em um duto do ar-condicionado. Felizmente, às 8 horas as chamas já haviam sido controladas. Não houve feridos durante o incidente. O ocorrido é mais um para a lista de incêndios em unidades hospitalares durante a pandemia.

O Hospital Pérola Byington é especializada no tratamento de câncer ginecológico e mamário, além de ser referência no atendimento às vítimas de violência sexual. A Secretaria da Saúde de São Paulo declarou que as causas do acidente estão sendo investigadas, mas as apurações já apontam que o incêndio teve início em um equipamento de ar condicionado de um setor ambulatorial.

O Instituto Sprinkler Brasil, uma instituição sem fins lucrativos, elaborou um mapeamento dos incêndios a partir de ocorrências noticiadas pela imprensa. De acordo com o ISB, foram registrados 53 incêndios em hospitais em 2020, quase o dobro das ocorrências de 2019, quando foram registradas 27 ocorrências. Ainda segundo a instituição, apenas nos seis primeiros meses de 2021, já se contabilizam 41 casos de incêndios em locais de serviços de saúde. Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro lideram no número de ocorrências, empatados, com cinco incêndios.

No último mês, no entanto, um incêndio ocorrido no Hospital Nestor Piva, localizado em Aracaju, no estado de Sergipe, chamou atenção para as condições de segurança das unidades de saúde do Brasil. Na ocasião, quatro pessoas, todas pacientes, morreram e outras três pessoas apresentaram ferimentos. O fogo teve início e se alastrou na ala destinada para tratar pacientes com Covid-19. A suspeita é de que o fogo também tenha começado por conta de um problema no ar-condicionado.

Insegurança na infraestrutura 

O ocorrido foi pautado durante a CPI da Pandemia, a pedido do senador Alessandro Vieira, foi feito requerimento por informações a diversos órgãos. De acordo com o senador, a investigação do ocorrido vai de acordo com o propósito da CPI. “Faz-se necessária a devida apuração dos fatos e eventuais responsabilidades por ação ou omissão nesse evento trágico que vitima os sergipanos e que se relaciona com o objeto desta CPI na medida em que recursos federais foram disponibilizados e devem ser utilizados para adequada preparação dos meios e instalações hospitalares, a fim de enfrentar grande aumento da demanda causado pela pandemia”, disse Alessandro no requerimento.

Marcelo Lima, diretor-geral do Instituto Sprinkler Brasil, declarou que o incidente no Hospital Nestor Piva é mais uma prova de que os hospitais operam, desde o início da pandemia, no limite da capacidade. “Há uma sobrecarga em todos os sentidos e toda a estrutura, especialmente quando falamos de manutenção e segurança contra incêndio, precisa ser acompanhada de perto. O aumento substancial de incêndios em hospitais nos mostra que há algo de errado e que muita coisa precisa ser feita para que tragédias como esta sejam evitadas”.

Ocorrências em outros países

Neste ano, outros países do mundo também registraram ocorrências semelhantes. No dia 30 de abril, pelo menos 18 pessoas morreram em um incêndio em um hospital na cidade de Bharuch, na Índia. De acordo com a polícia local, o fogo foi causado por um curto-circuito. No dia 23 de abril, o país já havia registrado incidente semelhante. 12 pessoas morreram em um hospital onde pacientes de Covid-19 eram tratados, em um subúrbio da cidade de Mumbai.

O ocorrido mais notório, no entanto, foi registrado na cidade de Bagdá, no Iraque, que deixou 82 mortos e 110 feridos. Segundo informações do portal G1, a causa do incêndio foi atribuída a uma negligência por parte das autoridades do hospital. O fogo teria começado após a explosão de um tanque de oxigênio. Entre os mortos estavam pelo menos 28 pacientes intubados com Covid-19.