Participamos do

Ex-reitor da UFPel é advertido após críticas ao governo Bolsonaro

Além de Pedro Hallal, o professor Eraldo Pinheiro foi advertido pela Controladoria-Geral da União (CGU)
12:49 | Mar. 03, 2021
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Controladoria-Geral da União (CGU) instaurou processo contra dois professores universitários que criticaram o presidente Jair Bolsonaro em canais oficiais da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Os professores Eraldo Pinheiro e Pedro Hallal, ex-reitor da universidade, foram chamados para prestar esclarecimentos.

De acordo com os extratos do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), publicados ontem, 2, no Diário Oficial da União (DOU), os professores proferiram "manifestação desrespeitosa e de desapreço direcionada ao presidente da República, Jair Bolsonaro". O TAC consiste em um procedimento administrativo voltado à resolução consensual de conflitos.

Os pronunciamentos a que o documento se refere aconteceram durante transmissão ao vivo nas redes sociais da instituição. Os canais em redes sociais também são entendidos pela CGU como "local de trabalho" por ser tratarem de um meio digital de comunicação disponibilizado pela Universidade. A transmissão aconteceu no dia 07 de janeiro de 2021.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A transmissão foi realizada para comentar a nomeação da nova reitora da UFPel. Após votação, o Presidente da República nomeou o segundo nome mais votado da lista tríplice, Isabela Fernandes Andrade. Essa nomeação foi criticada pela comunidade acadêmica.

Na ocasião, Hallal comentou a decisão do Presidente: “Quem tentou dar um golpe na comunidade foi o presidente da República”. “Nada disso estaria acontecendo se a população não tivesse votado em defensor de torturador, em alguém que diz que mulher não merecia ser estuprada ou no único chefe de Estado do mundo que defende a não vacinação da população”, comentou o ex-reitor e epidemiologista, por volta dos 5 minutos e 40 segundos da transmissão. (Vídeo no final da matéria)

Questionado sobre a advertência pelo O POVO, Pedro Hallal comenta que "se há alguma esperança de que esse processo censure minhas opiniões científicas sobre a pandemia, podem esquecer". "Continuarei emitindo minhas opiniões sobre a vergonhosa atuação do Ministério da Saúde e do Governo Federal no enfrentamento da pandemia", afirma.

Confira na integra as advertências a Eraldo Pinheiro e Pedro Hallal 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags