PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Os mapas do Brasil: veja como o território brasileiro cresceu ao longo dos séculos

O mapa brasileiro sofreu muitas alterações ao longo da história. Confira as mudanças dos contornos do país

16:39 | 05/02/2021
Mapa do Brasil feito por L. Vivien St Martin em 1930 (Foto: Foto: David Rumsey Historical Map Collection))
Mapa do Brasil feito por L. Vivien St Martin em 1930 (Foto: Foto: David Rumsey Historical Map Collection))

O Brasil nem sempre foi do Oiapoque ao Chuí. Nem da Ponta do Seixas à Nascente do Rio Moa. Os contornos do País foram se modificando - mais precisamente, ampliando - ao longo dos séculos. Com a conquista de territórios e os avanços nas expedições, o mapa do Brasil sofreu diversas alterações. O jornalista e designer Rodolfo Almeida produziu um vídeo animado mostrando as mudanças que foram documentadas em mapas da época. Almeida usou cartas datadas entre 1587 e 2016. O vídeo foi elaborado para o projeto Desestrutura e soma mais de 37 mil visualizações no Twitter. 

O designer utilizou o site David Rumsey Historical Map Collection como fonte de pesquisa, um acervo com mais de 100 mil itens catalogados. “Imaginei que seria interessante, então, tentar construir um histórico desses traçados, visualizar de forma animada esse desenho se formando”, explica. O vídeo acompanha as transformações do contorno do país apresentado nas representações cartográficas, remontando uma história de colonização, exploração e disputa de territórios. Confira:

 

“Navegando pelo acervo, atentei a um dos aspectos que se altera ao longo do tempo: os limites do território. Da costa fragmentada desenhada nas primeiras cartas, quando da colonização, ao polígono fechado e reconhecível que orienta espacialmente nossa noção de ‘Nação’”, observa Almeida. José Borzacchiello, professor dos programas de Pós-Graduação em Geografia da PUC-Rio e Titular Emérito da Universidade Federal do Ceará (UFC), explica que o mapa precisava ser atualizado constantemente por causa da conquista de espaços. "O avanço do território do país em direção oeste exigia constantes atualizações cartográficas. As Entradas e Bandeiras foram fundamentais nesse processo”, afirma.

As formas do Brasil

O território do brasileiro mudou bastante desde a chegada dos portugueses por volta 1500. Muitos nomes renomados representaram o nosso país em mapas, como Giovanni Ramusio, historiador e escritor italiano. Segundo o site Geonauta, o mapa feito por Ramusio em 1556 é considerado como a primeira representação cartográfica do Brasil. O mapa também apresenta o processo de exploração do pau-brasil com a mão-de-obra indígena.

Clique na imagem para abrir a galeria

Como na maioria das civilizações colonizadas, as transformações do mapa remetem à conquista de território. “O avanço das técnicas de representação do território tem fortes vínculos com as atividades de colonização e ocupação do espaço através de guerras e revoluções, casamentos que resultam em anexação de territórios, invasões e destruição de vários povos, muitos organizados em diversos tipos de gestão”, expõe o professor.

O Brasil nem sempre foi ilustrado da forma mais precisa. Borzacchiello pontua que o eurocentrismo influenciava nas representações cartográficas feitas por europeus. “São muitas as peças de mapas e outras formas de representação do Brasil, a maioria trazendo deformação cartográfica quanto à projeção, pois a Europa está, na maioria das vezes, representada com volume maior que a América do Sul”, conta.

LEIA MAIS | Menor que Guaramiranga: conheça os menores países do mundo

 

“Os mapas acompanham os sinais dos tempos”

O processo de produção de um mapa passou por mudanças nas técnicas cartográficas e o avanço das tecnologias permitiram novas representações, possibilitando apresentar diferentes perspectivas de um mesmo espaço em mapas digitais. “Das formas mais elementares de representação, a sociedade, em seu processo civilizatório, fez diferentes usos dos mapas, preocupada em fornecer o sentido de localização e orientação, variando das pinturas rupestres às peles de animais ou fibras vegetais”, lembra Borzacchiello.

O professor ainda afirma que mapas e cartas são formas de “representar em tamanho reduzido o planeta terra, países, estados e municípios, ou seja, espaços reais”. Também explicou que vários elementos são fundamentais para o entendimento de um mapa, como a escala, o título e a legenda.

Borzacchiello classifica os mapas como “datados”, já que precisam ser alterados de tempos em tempos por não abrangerem completamente as informações do espaço real. “Ele [o mapa] deve ser refeito em determinados períodos de tempo, para que ele possa cumprir sua missão de representar o espaço e atender a necessidade de orientar e reconhecer trilhas e caminhos, rios e montanhas, núcleos e agrupamentos humanos e suas atividades”, afirma.

Além de guiar, os mapas também têm forte influência econômica e social, modificando a forma de visualizar um espaço. “Os mapas acompanham os sinais dos tempos. Das cartas antigas aos mapas digitais de fácil acesso através de telefones celulares às novas cartas siderais que permitem a exploração do espaço”, assegura.