PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Protestos em apoio à Mariana Ferrer ocorrem no Brasil neste fim de semana

Um perfil no Instagram reúne mais de 30 mil seguidores e organiza as manifestações em diferentes cidades do País. Fortaleza tem um ato marcado para domingo, 8

18:23 | 07/11/2020
Protestos em apoio à Mariana Ferrer ocorreram em São Paulo neste sábado, 7 (Foto: Reprodução/Twitter The Intercept Brasil)
Protestos em apoio à Mariana Ferrer ocorreram em São Paulo neste sábado, 7 (Foto: Reprodução/Twitter The Intercept Brasil)

Protestos de rua estão sendo convocados em estados de todo o Brasil neste fim de semana em apoio à catarinense Mariana Ferrer, pedindo justiça para a jovem que acusa o empresário André de Camargo Aranha de estupro. Ele foi absolvido por falta de provas. No Instagram, o perfil "Na Rua por Mariana Ferrer" já reunia 30,6 mil seguidores até a tarde deste sábado, 7.

Ceará, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Sul e outros estados têm protestos marcados para ocorrer entre hoje e amanhã, 8. Em Fortaleza, a Praia de Iracema consta como o ponto de concentração para os manifestantes, que devem se encontrar neste domingo, 8, às 15 horas. Um perfil local na mesma rede social também divulga o ato. 

Na terça-feira, 3, o jornal The Intercept revelou imagens de uma audiência judicial em que Mariana é humilhada pelo advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho, defensor do acusado de estuprá-la durante uma festa em 2018. André de Camargo Aranha foi absolvido e o termo "estupro culposo", utilizado pelo Intercept para ilustrar o resultado do julgamento, fez o caso repercutir amplamente.


 
 
 
Ver essa foto no Instagram

POST OFICIAL AS MODIFICAÇÕES NÃO DEPENDEM DA GENTE, APENAS NOS RESPONSABILIZAMOS POR EXCLUIR AS MODIFICAÇÕES ANTERIORES E REPOSTA-LAS COM AS INFOS CERTAS. Sabemos que é chato ver post novo toda hora, com as mesmas coisas, porém nos baseamos nas seguintes decisões da equipe: •Publicar muitos lugares ao mesmo tempo polui menos nosso feed do que postar um a um. •Se alguma informação que esteja nos posts “mobilização nacional” for modificada, criaremos um post de mudanças, sem excluir o outro, já que a arte é compartilhada por diversas cidades. •É muito mais seguro excluir o post de mudanças, mesmo que compile diversas cidades, caso hajam segundas modificações, do que manter e postar uma outra arte de “mudanças”. Evita confusões ainda maiores. No mais, agradecemos a compreensão.

Uma publicação compartilhada por JUSTICA POR MARI FERRER (@naruapormarianaferrer) em

"Vamos para a rua, e dar a VOZ que foi tirada de MARIANA FERRER e de MUITAS OUTRAS MULHERES [sic], não podemos nos calar perante tal situação. Convido TODOS para uma luta onde a justiça FALHOU miseravelmente!", convida o perfil nos posts. Também está entre as recomendações o uso de máscara e de álcool em gel - itens indispensáveis para prevenir a Covid-19, causada pelo novo coronavírus

No Twitter, o jornal The Intercept Brasil publicou imagens de alguns dos protestos que já ocorreram neste sábado em São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio Grande do Norte e até em Buenos Aires, na Argentina. Com faixas e cartazes, as mulheres presentes pediam justiça por Mari Ferrer.

Caso Mari Ferrer

A jovem catarinense Mariana Ferrer, de 23 anos, acusa o empresário André de Camargo Aranha de estupro durante uma festa em 2018. Imagens obtidas pelo jornal The Intercept Brasil mostram o advogado de Aranha humilhando a jovem em uma audiência. O Conselho Nacional de Justiça deve analisar conduta de juiz e promotor do caso.

“Não adianta vir com esse teu choro dissimulado, falso e essa lábia de crocodilo”, diz o advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho, responsável pela defesa do empresário enquanto mostra cópias de fotos sensuais produzidas pela jovem enquanto modelo profissional. Durante audiência, ele tenta relacionar as imagens ao argumento de que a relação foi consensual.

O vídeo mostra ainda a jovem chorando enquanto reclama do interrogatório para o juiz. “Excelentíssimo, eu tô implorando por respeito. Nem os acusados são tratados do jeito que estou sendo tratada, pelo amor de Deus, gente. O que é isso?”, diz. 

Segundo o promotor Thiago Carriço de Oliveira, responsável pelo caso, não havia como o empresário saber, durante o ato sexual, que a jovem não estava em condições de consentir a relação, não existindo portanto “intenção” de estuprar. Por isso, o juiz aceitou a argumentação de que ele cometeu “estupro culposo”, um “crime” não previsto por lei. Como ninguém pode ser condenado por um crime que não existe, Aranha foi absolvido.