PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Dono de hamburgueria diz que cliente proibiu entrada de entregador em condomínio de luxo por ele ser negro

"Não vou permitir esse macaco", disse moradora por mensagem. Gerente se recusou a continuar o atendimento após respostas e deve registrar o caso na polícia

13:56 | 27/10/2020
O nome da cliente não foi divulgado, pois eles esperam que a investigação aponte se as mensagens foram enviadas realmente pela cliente. (Foto: Reprodução de tela/ Bom Dia Goias/TV Globo)
O nome da cliente não foi divulgado, pois eles esperam que a investigação aponte se as mensagens foram enviadas realmente pela cliente. (Foto: Reprodução de tela/ Bom Dia Goias/TV Globo)

O dono de uma hamburgueria de Goiânia denuncia que uma cliente de um condomínio de Luxo na cidade não deixou o entregador da empresa entrar onde ela mora por ele ser negro. Nas mensagens enviadas por um aplicativo, a mulher escreveu que deveriam mandar um motoboy que fosse branco: “Eu não vou permitir esse macaco”. O comerciante disse que vai registrar o caso na Polícia Civil. As informações são do portal G1.

O nome da cliente não foi divulgado, pois eles esperam que a investigação aponte se as mensagens foram enviadas realmente pela cliente ou se foram respondidas por outra pessoa como forma de prejudicar a moradora do condomínio.

O caso aconteceu na noite de domingo, 25. A equipe da hamburgueria entrou em contato com a cliente, por meio de mensagem, para pegar a quadra e o lote exatos, pois o endereço não estava completo. Na conversa, quando a gerente pede para a moradora autorizar a entrada do entregador, ela se recusa. “Esse preto não vai entrar no meu condomínio. Mandar outro motoboy que seja branco”, escreve a mulher.

A gerente se nega. Em seguida, a moradora chama o entregador de macaco. Diante das mensagens, a gerente diz que não é tolerado o racismo na sanduicheria e que o pedido não será entregue. “Adeus. Não uso restaurante judaico”, finalizou a cliente na mensagem. O nome da cliente não foi divulgado e o G1 não conseguiu localizá-la para que se posicione sobre a denúncia.

Processo

 

O dono da hamburgueria, Éder Leandro Rocha, disse que o caso será registrado na Polícia Civil nesta terça-feira, 27. O nome da cliente não foi divulgado, pois eles esperam que a investigação aponte se as mensagens foram enviadas realmente pela cliente ou se foram respondidas por outra pessoa como forma de prejudicar a moradora do condomínio. “Foi a primeira vez que teve um caso assim. No início, achamos que pudesse ser um trote. Nós ficamos muito sem reação, sem saber como falar para nosso entregador na porta o que tinha acontecido. Mas a gente acabou tendo que contar. Ele ficou o resto da noite triste”, disse o dono do estabelecimento.

O proprietário contou ainda que, após registrar o caso na polícia, vai comunicar o caso ao aplicativo de entregas. Ele também disse que filmou a conversa no aplicativo como forma de guardar provas sobre o caso. “A gente só divulgou porque esses atos não podem ficar impunes”, afirmou.