PUBLICIDADE
Brasil
Noticia

Primeira mulher abertamente feminista da TV brasileira, Xênia Bier morre aos 84 anos

Apresentadora teve passagens pelos canais Cultura, Manchete, Band e Globo. Ela sofreu queda de pressão pulmonar depois de 15 dias internada em razão do avanço da doença de Alzheimer

Everton Lacerda
18:26 | 24/08/2020
Xênia Bier foi pioneira a discutir questões do universo feminino e defender o feminismo na TV brasileira (Foto: Divulgação)
Xênia Bier foi pioneira a discutir questões do universo feminino e defender o feminismo na TV brasileira (Foto: Divulgação)

Morreu hoje, aos 84 anos, a apresentadora de TV e jornalista Xênia Bier. Considerada a primeira mulher abertamente feminista na televisão brasileira, a comentarista faleceu após sofrer uma queda de pressão pulmonar depois de 15 dias internada em razão de avanços da Doença de Alzheimer, conforme informou a filha da apresentadora ao jornal Folha de S. Paulo.

Xênia iniciou a carreira como atriz ainda na década de 1960, atuando nas novelas "As Professorinhas", "Escrava do Silêncio" e "O Moço Loiro", na TV Cultura. Logo após, tornou-se apresentadora exclusiva do “Light Convida”, programa feminino repleto de temas e entrevistas polêmicas para a época.

Pela Band, a apresentadora comandou o “Xênia e Você". Depois, na Rede Globo, lançou o famoso “TV Mulher”. Já na TV Manchete, foi encabeçava o “Mulher 88”.

Reclusa e afastada da televisão há anos, a jornalista escrevia a coluna "Crônica da Xênia" na revista feminina AnaMaria. A apresentadora terá o corpo cremado no cemitério da Vila Alpina, em São Paulo (SP), em cerimônia íntima.