PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Decotelli pede demissão de cargo de Ministro da Educação

O ex-ministro tomou a decisão após uma série de polêmicas envolvendo o seu currículo, que estaria apresentando informações falsas sobre sua formação

16:21 | 30/06/2020
Bolsonaro e Decotelli (Foto: Divulgação)
Bolsonaro e Decotelli (Foto: Divulgação)

Carlos Alberto Decotelli enviou carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), nesta terça-feira, 30. O professor foi nomeado ao cargo de Ministro da Educação na última quinta-feira, 25. Ele tomou a decisão após uma série de polêmicas envolvendo o seu currículo, que estaria apresentando informações falsas sobre sua formação.

LEIA TAMBÉM | Decotelli pode sair ainda hoje do MEC após FGV dizer que ministro não foi professor

Decotelli ganha sobrevida no MEC, mas Bolsonaro não garante nomeação

Decotelli nega plágio e, após reunião com Bolsonaro, afirma ser ministro

Bolsonaro desiste de nomear Decotelli para o MEC, diz Veja

Algumas instituições, como a Universidade do Rosário (Argentina) e Universidade de Wüppertal (Alemanha) negaram a conclusão de doutorado e pós-doutorado, que constava em seu currículo. A Faculdade Getúlio Vargas (FGV) também indicou que Decotelli não fez parte do time de professores e pesquisadores da instituição.  O seu mestrado também foi questionado, pois denúncias em redes sociais indicavam plágios na dissertação

Após a FGV publicar nota informando que Carlos Alberto Decotelli não foi pesquisador ou professor da faculdade, o presidente Jair Bolsonaro teria ficado irritado, segundo o jornal Estadão, ao saber de mais uma incoerência no currículo do ministro. A intenção do Governo seria a de que Decotelli fizesse uma carta de demissão, enquanto a gestão federal busca nomes para substituí-lo.