PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Bolsonaro chama Moro de Judas pouco antes de ex-ministro ir depor na PF

Nas redes sociais, o Presidente também questionou novamente sobre a facada em 2018: "Os mandantes estão em Brasília?"; Moro prestará depoimento em Curitiba neste sábado sobre declarações de Bolsonaro em interferir na autonomia da Polícia Federal

11:38 | 02/05/2020
Bolsonaro e Moro no dia da posse, em 1º de janeiro de 2019
Bolsonaro e Moro no dia da posse, em 1º de janeiro de 2019 (Foto: DIDA SAMPAIO / AE)

O Presidente da República Jair Bolsonaro voltou a insinuar que Sergio Moro o traiu ao deixar o cargo no Ministério da Justiça e Segurança Pública. Em publicações nas redes sociais neste sábado, o presidente chamou o ex-ministro de "Judas" em post nas redes sociais. Moro deporá hoje, 2, sobre declarações feitas contra Bolsonaro em sua demissão, no último dia 24 de abril, no qual acusou o Executivo de interferir pessoalmente em nomeações de cargos e na autonomia da Polícia Federal.

O depoimento de Moro está previsto para o início da tarde deste sábado.

No Twitter, Bolsonaro divulgou um vídeo em que uma pessoa diz ter identificado vozes de outras pessoas que falariam com Adélio Bispo no momento do crime, quando à época o candidato ao cargo do Executivo foi esfaqueado em 2018."Os mandantes estão em Brasília? O Judas, que hoje deporá, interferiu para que não se investigasse?", questionou.

O caso de Adélio Bispo já foi investigado pela Polícia Federal e concluída em 2018. Uma segunda investigação foi aberta e teve o mesmo caminho de que não houve apoio externo para o crime. No entanto, Bolsonaro continua a insistir que sofreu uma ação planejada e que haveria pessoas externas ligadas ao caso.

"Nada farei que não esteja de acordo com a Constituição", continuou. "Mas também NÃO ADMITIREI que façam contra MIM e ao nosso Brasil passando por cima da mesma."