PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

"Você não vai fazer filme pra agradar a minoria com dinheiro público", diz Regina Duarte

Na primeira entrevista após assumir a pasta, Regina Duarte falou sobre reestruturação da Lei Rouanet e o polêmico post sobre apoio de artistas

15:41 | 09/03/2020
Brasilia, 04 de março de 2020, Cerimonia de  posse da no Secretária Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Regina Duarte
Brasilia, 04 de março de 2020, Cerimonia de posse da no Secretária Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Regina Duarte (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

A atriz Regina Duarte, quarta pessoa a assumir a Secretaria Nacional da Cultura durante o atual governo, falou ao Fantástico sobre as polêmicas que envolvem a gestão de Bolsonaro e a classe artística. Questionada sobre movimentos conservadores contra determinadas formas de expressão, a atriz foi categórica: "Você não vai fazer filme pra agradar a minoria com dinheiro público".

Em tópicos, O POVO separou algumas respostas da nova secretária.

"O noivado"

"É um aprendizado imenso para o qual eu não estava preparada. Isso me assustava muito. Mas eu comecei a perceber que isso também poderia dividir com uma equipe competente, experiente, apaixonada por cultura. E, que, na verdade, eu, por patriotismo, aceitei a missão".

Primeiros dias

"Altos e baixos. Momentos maravilhosos onde eu me sentia muito viva, como há tempo eu não me sentia. E aí, ao mesmo tempo, momentos muito angustiantes, de perceber que eu tinha que lidar com situações bastante complicadas mesmo, de política, que é uma coisa que nem me passava pela cabeça".

"Você percebe que tem pessoas que estão ocupando cargos e usando esses cargos pra fazer ativismo, pra se eleger nas próximas eleições. No nosso caso, meu e da equipe, o que a gente quer é fazer cultura".

Polêmica sobre apoio de artistas

"Eu achei que era um direito que eu tinha invadido sem autorização. Mesmo que eles já tivessem declarado apoio a mim, eles não estavam declarando apoio à futura secretária do governo Bolsonaro. Isso muda bastante a situação. Quando eu percebi o significado que isso ganhou pra alguns colegas, eu até aproveito pra pedir desculpas, eu retirei".

#ForaRegina

"Já tem uma hashtag #foraregina. Eu nem comecei! Esta semana eu estive lá tentando apagar alguns incêndios que as nomeações e exonerações provocaram, como se fosse a primeira vez na vida que em política alguém entrasse pra gerenciar, digamos, uma pasta pública e fizesse esse tipo de coisa. Exonerações são necessárias. Eu quero ter uma equipe na qual eu possa confiar".

Lei Rouanet

"Eu acho que a Lei Rouanet precisa de alguns ajustes e estamos pensando nisso seriamente. Porque eu acho que ela pode ser mais democratizada, o bolo pode ser repartido em fatias mais equilibradas, mais justas, pra todo fazedor de cultura, de arte".

Retrocesso

"Eu tô vivendo a história do meu país do jeito que ela vem. Porque a história ela é... Ela anda. (...) Eu acho que pra trás não existe, ninguém vive olhando pro retrovisor. Vamos ficar no presente e vamos olhar pra frente".

Conservadorismo

"Eu acho que o dinheiro público deve ser usado de acordo com algumas diretrizes importantes, porque é o que população que elegeu esse governo espera dele. (...) Governa pra todos. E todos estão livres pra se expressar. Contanto que busquem seus patrocínios na sociedade civil. Você não vai fazer filme pra agradar a minoria com dinheiro público. Todas têm espaço. Devem buscar seus patrocínios".