PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Erro na correção do Enem 2019: tire suas dúvidas e se prepare para o Sisu

O POVO compilou o que já se sabe sobre o caso e preparou dicas para quem pretende se inscrever no Sisu

11:30 | 21/01/2020
De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, cerca de seis mil pessoas foram afetadas com o erro
De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, cerca de seis mil pessoas foram afetadas com o erro (Foto: Divulgação)

Desde o último sábado, 18, estudantes que participaram da última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vêm acompanhando ansiosos os casos de erros na prova.

No dia, o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Teixeira, afirmou que houve "inconsistências" na correção dos gabaritos das provas aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro do ano passado. Até a noite de ontem, segunda (20), o Inep garantiu que já finalizou as correções das notas.

A nota obtida no Enem é, atualmente, uma das principais formas de jovens e adultos entrarem em uma universidade pública. Ela também pode ser utilizada para iniciar cursos em outras instituições. Dessa forma, o exame se tornou bastante importante no País.

Nesta terça, 21, começaram as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) - plataforma pela qual estudantes se inscrevem. O POVO resolveu compilar informações sobre a prova e o sistema. Ainda tem dúvidas? Esperamos que a lista te ajude!

>> Saiba como é calculada a nota do Enem

Adepto da Teoria de Resposta ao Item (TRI), o Inep faz uma escala de nível de dificuldade das questões em cada uma das quatro áreas de conhecimento. O resultado é calculado de uma forma mais complexa do que parece. Adepto da Teoria de Resposta ao Item (TRI), o Inep faz uma escala de nível de dificuldade das questões em cada uma das quatro áreas de conhecimento: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas tecnologias e Ciências da Natureza e suas tecnologias.

Dessa forma as questões têm suas notas medidas a partir de um ponto de partida: os 500 pontos. Assim as perguntas consideradas mais fáceis ficam abaixo dessa marca, já as mais difíceis ficam acima dela. Se alguém acerta as difíceis e erra grande quantidade das fáceis, o sistema identifica como sendo "chute". Isso serve para estipular, por meio do número de erros e acertos do candidato, o real conhecimento de quem faz a prova. Desse jeito, dois concorrentes acertando o mesmo número de itens podem ter notas diferentes.

Redação

O cálculo da nota da redação não utiliza o modelo TRI, e tem correção feita por mais de 5 mil avaliadores, sendo cada uma analisada por dois professores diferentes. Se houver uma discrepância de 100 pontos na média geral ou de 80 pontos em alguma competência, um terceiro corretor fará a avaliação. A nota final será as médias que mais se aproximam.

As cinco competências avaliadas são domínio da escrita formal; desenvolvimento do tema em estilo dissertativo-argumentativo; conhecimento de mecanismos linguísticos para construir a argumentação; elaboração de proposta de intervenção para o problema proposto, com respeito aos direitos humanos; e relacionamento, organização e interpretação de informações e argumentos em defesa de uma opinião.

São enviadas até 200 redações por dia para o professor, que deve retornar 150 textos corrigidos ao fim de três dias. A cada 50 redações o corretor recebe uma já corrigida por equipe de especialistas, para analisar o seu desempenho como avaliador.

>> Alunos relatam possível erro na correção do Enem

Mesmo acertando muitas questões no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o resultado estaria entre 300 e 400 pontos. A hashtag #erronoenem no Twitter chegou a ser a terceira mais comentada no mundo.

Pelo menos 200 alunos de Minas Gerais já haviam se manifestado no dia 17 de janeiro sobre possíveis correções erradas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nas provas de Ciências da Natureza e Matemática, aplicadas no segundo dia de provas.As informações são do jornal O Tempo.

Os estudantes do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Viçosa (UFV), o Coluni, que estavam organizando as queixas, alegaram que o cálculo da notas estariam erradas. Mesmo acertando muitas questões, o resultado estaria entre 300 e 400 pontos. O valor é relativamente baixo se considerado que a nota mínima da prova de matemática foi de 359, enquanto a máxima foi de 985,5.

>> MEC admite erro em correção do Enem

Já no dia 18 de janeiro, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou que algumas provas do segundo dia de avaliação do Enem 2019 tiveram suas notas afetadas devido a erros de contabilização e correção. O titular do Ministério da Educação (MEC), Abraham Weintraub, informou que um grupo pequeno de pessoas tiveram seus gabaritos trocado no momento do fechamento dos envelopes.

Na publicação, o perfil do Inep alegou que “houve inconsistência no gabarito de algumas provas do Enem 2019 e, por isso, candidatos foram surpreendidos com os resultados de suas notas”. Alegando que foi baixo o número de candidatos que tiveram suas avaliações afetadas. O órgão informou que até segunda-feira, 20, resolveria o problema e ainda afirmou que ninguém será prejudicado.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, conta que buscas foram feitas para identificar outros possíveis erros. Também foi criado um email para atender aqueles que se sentirem prejudicados com as notas ou tiverem mais dúvidas.

>> Inep afirma que já finalizou as correções de notas no Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirmou em nota nesta segunda-feira, 20, que os cerca de 6 mil candidatos que tiveram suas notas prejudicadas devem receber a atualização ainda no mesmo dia. A falha teria ocorrido em uma das máquinas da gráfica Valid Soluções S.A, responsável pela diagramação, manuseio, embalagem, rotulagem e entrega aos Correios dos cadernos de provas. Por conta do erro, a inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) será prorrogada até domingo.

O problema inicialmente havia sido relatado apenas no segundo dia de provas (Ciências da Natureza e Matemática), mas, no domingo, 19, o Ministério da Educação (MEC) confirmou que provas do primeiro dia também poderiam ter sofrido alguma alteração e que passariam a integrar o escopo de revisão do Inep.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, afirmou em um pronunciamento no perfil oficial do órgão no Instagram na noite de segunda que foram revisados todos os casos solicitados. “Nós analisamos todas as circunstâncias, olhamos todas as situações em que poderia haver algum tipo de modificação de nota”, declarou. No mesmo pronunciamento foi informado que a maioria dos casos ocorreu nas cidades de Alagoinhas (BA), Viçosa (MG), Ituiutaba (MG) e Iturama (MG).

>> Cearenses que se dizem prejudicados por erro do Enem vão denunciar caso ao MP

Pelo quarto ano consecutivo, o fortalezense Lucas Alves Balbino, 20 anos, fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na tentativa de passar para o curso que sempre sonhou: medicina. Um objetivo, no entanto, que pode ter ficado mais distante. Ele e outros colegas acreditam estar entre os 9 mil alunos prejudicados com o erro de correção. Ao O POVO, o jovem contou que iria formalizar uma denúncia junto ao Ministério Público Federal.

"Eu recebi um link da fala do ministro da Educação em que ele dizia que houve uma troca de gabaritos apenas no segundo dia de provas do Enem. Ocorre que eu e vários amigos percebemos que não foi só no segundo dia, mas também no primeiro dia de prova, principalmente na Redação", diz, relatando se sentir prejudicado após perceber que sua nota em Redação caiu de forma inesperada. O estudante chegou a tirar 960 nas últimas edições do exame, mas caiu para 820 em 2019.

Além disso, ele e outros amigos também observaram as pontuações nas outras áreas exigidas na prova. Em Ciências Humanas, por exemplo, Lucas errou somente 8 das 45 questões. Mesmo assim, sua nota ficou em 620. O mesmo aconteceu com Linguagens, códigos e suas tecnologias, onde acertou 32 questões, mas sua nota não chegou a 600. A média total do jovem ficou em 643 - 60 pontos a menos que a edição de 2018.

Por enquanto, o menino morador do bairro Vila Velha pensa que, caso não consiga resolver esse problema, o jeito será estudar novamente durante este ano. "Vou estudar em casa mesmo por plataformas digitais. Pretendo fazer Uece, que agora tem medicina. Para mim, o Exame Nacional, se ficar do jeito que está, não vale a pena mais fazer", conclui.

>> Inscrição no Sisu será prorrogada até domingo

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou nesta segunda-feira, 20, que a inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), mecanismo de entrada de alunos nas universidade públicas e privadas, vai permanecer aberta por mais dois dias, além do previsto pelo cronograma estabelecido.

A plataforma vai ficar disponível até o domingo, 26, às 23h59min. No período, os candidatos escolhem até duas opções de curso e podem alterar entre as opções durante as inscrições.

Segundo o Ministro da Educação (MEC), Abraham Weintraub, a decisão de prorrogar o prazo é em decorrência de inconsistências na correção de cerca de seis mil candidatos no Enem.

>> Como usar sua nota do Enem no Sisu 2020

O Sisu oferece 237 mil vagas em universidades federais em todo o País. As inscrições do Sisu são feitas por meio do site. Para isso, o estudante precisa inserir o seu número de inscrição e senha do Enem 2019 no sistema. Ao acessar a página de cursos, o candidato vai selecionar as duas opções que quer. Por meio dos filtros de busca, é possível escolher o turno, a localização mais perto de sua casa e a instituição de sua preferência.

O estudante pode escolher dois cursos que quer fazer, mas tem que colocar em ordem de preferência. Se mudar de ideia, no entanto, os cursos podem ser alterados até o fim das inscrições. A principal vantagem do Sisu é a possibilidade de o estudante concorrer a vagas em todo o País, sem precisar sair de onde você mora para fazer outras provas. O Sisu é gratuito e todas as instituições brasileiras já aderiram ao sistema como forma de ingresso parcial ou integral nos cursos.

Cotas

O sistema de cotas do Sisu inclui candidatos que se identificam como pretos, pardos, indígenas, como pessoas de baixa renda, como pessoas que estudaram em escola pública ou pessoas com deficiência. Esses grupos podem participar das vagas reservadas.

Contudo, o estudante que se incluir no grupo no momento da inscrição tem de comprovar as informações para a universidade quando for fazer a matrícula. Caso contrário, o estudante poderá perder o direito à vaga.

Documentos

Após o resultado do Sisu ser divulgado, os aprovados precisam providenciar a documentação necessária para a matrícula. Cada universidade terá uma lista de documentos exigidos para a matrícula. Se o aluno não tiver os documentos que são exigidos, ele poderá perder a vaga.

Calendário do Sisu 2020:

Período das inscrições: 21 a 24 de janeiro

Resultado da chamada regular: 28 de janeiro

Prazo para participar da lista de espera: 29 de janeiro a 4 de fevereiro

Convocação dos candidatos em lista de espera: 7 de fevereiro a 30 de abril

Prouni e Fies

Para quem não conseguir ingressar na universidade por meio do Sisu existem ainda opções como o Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Financiamento Estudantil (Fies). O Prouni oferece bolsas de estudo em instituições particulares e para participar é preciso ter, pelo menos, 450 pontos na média das provas do Enem e não ter tirado zero na redação. O período de inscrições começa no dia 28 de janeiro e vai até às 23h59min de 31 de janeiro.

>> Saiba as notas de corte dos cursos de instituições federais no Ceará no Sisu 2019

O POVO simulou por meio da ferramenta online Quero Bolsa algumas notas de cortes em cursos com base nos dados do Sisu 2019. Neste semestre, o Sisu vai ofertar 237 mil vagas em 128 instituições de ensino superior públicas. Confira:

> Administração

Maior nota: 709.76, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

Menor nota: 695.37, na UFCA, em Juazeiro do Norte, no turno noturno;

> Agronomia

Maior nota: 728.71, no IFCE, em Limoeiro do Norte, no turno integral;

Menor nota: 628.77, na UFCA, no Cariri, no turno integral;

> Arquitetura e Urbanismo

Nota: 743.86, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

> Biblioteconomia

Maior nota: 640.86, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

Menor nota: 638.61, na UFCA, em Juazeiro do Norte, no turno integral;

> Ciência da Computação

Maior nota: 819.85, no IFCE, em Maracanaú, no turno integral;

Menor nota: 628.28, na UFC, em Russa, no turno integral;

> Ciências Ambientais

Única nota na ampla concorrência: 673.46, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

> Ciências Contábeis

Maior nota: 707.32, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

Menor nota: 680.32, na UFCA, em Juazeiro do Norte, no turno noturno;

> Ciências Sociais

Maior nota: 685.36, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

Menor nota: 664.9, na UFC, em Fortaleza, no turno noturno;

> Direito

Maior nota: 768.46, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

Menor nota: 760.36, na UFC, em Fortaleza, no turno noturno;

> Educação Física

Maior nota: 738.52, no IFCE, em Juazeiro do Norte, no turno vespertino;

Menor nota: 658.2, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

> Enfermagem

Maior nota: 727.36, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

Menor nota: 709.32, na UNILAB, em Redenção, no turno integral;

> Engenharia civil

Maior nota: 883.13, no IFCE , em Fortaleza, no turno matutino;

Menor nota: 701.26, na UFC, em Crateús, no turno integral;

> Fisioterapia

Única nota na ampla concorrência: 727.1, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

> Medicina

Maior nota: 801.42, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

Menor nota: 785.57, na UFCA, em Barbalha, no turno integral;

> Pedagogia

Maior nota: 738.05, no IFCE, em Canindé, no turno noturno;

Menor nota: 643.7, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

> Psicologia

Maior nota: 748.02, na UFC, em Fortaleza, no turno integral;

Menor nota: 718.72, na UFC, em Sobral, no turno noturno;