PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Quadrilha presa por extorquir LGBTs atuava também no Ceará

Parte do grupo foi capturado no Distrito Federal. Três pessoas estão foragidas, de acordo com policiais

11:29 | 25/06/2019

A Polícia Civil do Distrito Federal desarticulou na última segunda-feira, 24, quadrilha especializada em extorquir pessoas LGBTs. Além de Brasília, o grupo atuava no Ceará, em Goiás e em São Paulo. Até agora, oito pessoas foram presas e três estão foragidas. De acordo com os policiais, há informações de que suspeitos fugiram para Chile e Paris. As informações foram divulgadas na manhã desta terça-feira, 25, pelo jornal Correio Braziliense.

A presença de cearenses entre as vítimas foi apontada durante as investigações. Contudo, até agora, não há alvos identificados no Estado, segundo fonte ligada à apuração do caso.

Conforme as investigações, a quadrilha era composta por travestis e homossexuais. Eles usavam perfis falsos em redes sociais e aplicativos de relacionamento para levar vítimas a hotéis dos respectivos estados. Durante o encontro com um dos integrantes do grupo, os outros ficavam escondidos no quarto filmando a ação.

Durante o ato sexual, o grupo revelava o golpe e, com as imagens gravadas, extorquia a vítima. Eles ameaçavam divulgar os vídeos e mostrar as filmagens a familiares dos alvos do golpe. Os acusados ainda agrediam as vítimas fisicamente.

Eles exigiam acesso a contas bancárias, cartões de crédito e transferiram dinheiro. Segundo a reportagem, pessoas em Brasília chegaram a pagar R$ 12 mil e R$ 17 mil aos golpistas.

O POVO Online procurou a Polícia Civil do Distrito Federal e aguarda posicionamento dos órgãos.

Redação O POVO Online