PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Em época de Copa do Mundo, mural em SP homenageia futebol feminino

06:02 | 07/06/2019

Para homenagear a Seleção Brasileira Feminina de Futebol, que estreia na Copa do Mundo no próximo domingo ((9), um muro na Brasilândia, na capital paulista, foi pintado por três grafiteiras. O mural foi feito em conjunto pelas artistas Sarah Lörenk, Clara Leff e AFolego.

“Quando tem a Copa masculina, todo mundo naturalmente celebra, comemora, quer pintar as ruas. Quer deixar de trabalhar para ver os jogos. A nossa ideia era manifestar o mesmo entusiasmo pela nossa seleção feminina”, disse Sarah Lörenk, em entrevista à Agência Brasil.

“Nós três juntas pensamos em algo que pudesse representar não só as jogadoras, mas a torcida também e a mulherada que vai para o estádio, que gosta de futebol”, afirmou AFolego.

“A primeira coisa que pensamos era não retratar nenhuma jogadora específicamente para que todas as mulheres pudessem se identificar ali, se sentir representadas. Portanto, eu, apesar de fazer realismo, atentei-me para que a personagem não parecesse nenhuma jogadora. Decidimos fazer todas com uma expressão bem séria, concentrada, para passar a ideia de que jogo de mulher é papo sério também”, disse Clara Leff.

O novo mural cobriu a antiga pintura, que homenageava o futebol masculino e que era sempre renovado pelo artista Digão, o Comprimido, que mora no bairro.

“De início, o mural foi feito na Copa de 2018, na copa masculina. Conforme os jogadores iam fazendo gols, eu ia homenageando com uma pintura. Como o Brasil não foi campeão, o mural ficou parado no meio do caminho. A partir do momento em que veio a Copa feminina, nada mais justo do que a gente inovar”, disse Digão.

“Junto com as meninas, decidimos inovar o painel, agora com o tema de futebol feminino. E com mulheres fazendo o mural, o que é mais importante. São mulheres em todo canto: tanto na arte quanto no futebol”, acrescentou o artista.

“As meninas mandaram ver de verdade. Desde o início eu me perguntava: quem vão ser as artistas que vão passar por cima de uma obra minha? Quando eu vi quem eram, eu falei: pode vir que eu confio”, disse ele, que também assina um trabalho ao lado do mural das meninas, homenageando a jogadora Formiga.

União

O trabalho foi todo feito em conjunto, mas cada uma com o seu traço. “O forte de nós três, meninas, cada uma no seu estilo, é desenvolver e pintar personagens nas ruas. Então, cada uma buscou uma referência de mulheres atletas e pintamos, uma ao lado da outra”, contou Sarah.

“Nos meus personagens eu já busco a representação da mulher comum, da mulher que vive entre nós e que é mãe, que é filha, que é trabalhadora, de uma forma não objetificada”, contou AFolego.

“Com a minha arte, pretendo tirar a mulher desse lugar de objeto ou da imagem de deusa ou de qualquer coisa que tire a humanidade dela. Aqui eu quis representar isso. Que fosse uma mescla entre jogadora e torcedora. São as mulheres que estão envolvidas nesse mover de reconhecimento, de representatividade e de ocupação do espaço. E de união entre as mulheres. Por isso uma apoia a outra”, explicou.  

“A minha personagem central carrega uma bola, concentrando sua energia para o jogo. Gostei muito das personagens da AFolego e Lörenk, pois elas remetem também a outras mulheres participando, como a bandeirinha e também torcedoras. Por fim, colocamos uma paisagem de estádio, cheio de holofotes e vibração. E as seis estrelas divididas pelo painel são para representar as seis vezes em que a Marta foi eleita a melhor jogadora do mundo”, disse Clara.

O mural já tem feito sucesso e atraído muitos curiosos. “O pessoal aqui, da vizinhança, contou que tem muita gente vindo aqui conhecer o mural e tirar foto, ver de perto”, falou Digão.

Torcida

Os jogos da seleção brasileira deverão ser acompanhados, pela TV, pelos grafiteiros. Os três disseram que pretendem assistir aos jogos do Brasil na Copa do Mundo de Futebol Feminina, na França.

Sarah disse que não costumava acompanhar esportes, mas que a pintura despertou essa vontade. “Agora que estou mais por dentro e até com apego emocional a essa causa, de dar reconhecimento às meninas da seleção de futebol - e até porque algumas delas [da seleção feminina] entraram em contato felizes com o painel - você acaba criando ainda mais carinho por trocar contatos e ideias. Então, sem dúvida estarei assistindo e acompanhando todos os jogos da mulherada”.

Clara também não acompanhava o futebol, mas disse que estará torcendo pela Seleção Brasileira.  “Eu não acompanho nada de futebol, mas com certeza agora vou acompanhar a copa feminina. Apesar de eu sempre me envolver com diversos movimentos para fortalecer mulheres, participar deste projeto me fez ter dimensão da importância que é este momento para as mulheres como um todo. É bonito demais ver essa cena do futebol feminino ganhando força”.

AFolego também pretende assistir aos jogos. “As meninas brasileiras crescem jogando bola na rua. Eu, quando criança, jogava bola com os meninos nas ruas. Adorava futebol. Mas fui deixando de lado porque é um meio muito masculino. Gostava de ir a estádios. E fazer isso aqui [a pintura no muro] é um ânimo para voltar a torcer pelas mulheres”.

A Seleção Brasileira estreia contra a Jamaica, no dia 9 de junho, domingo, às 10h30 (horário de Brasília). Depois enfrenta a Austrália, no dia 13, às 13h, e fecha a fase de grupos contra a Itália, às 16h do dia 18 de junho.

Agência Brasil