PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Árbitra é agredida por estudante na UFPI após dar cartão vermelho

Depois de confusão entre jogadores de dois times, Eliete expulsou dois jogadores da quadra. Logo em seguida, um deles desferiu três socos contra ela

11:31 | 04/06/2019
Depois de uma confusão entre os dois times, Eliete expulsou dois jogadores da quadra, incluindo seu agressor. Logo em seguida, ele lhe desfere três socos e ela vai ao chão.
Depois de uma confusão entre os dois times, Eliete expulsou dois jogadores da quadra, incluindo seu agressor. Logo em seguida, ele lhe desfere três socos e ela vai ao chão.(Foto: Reprodução/Twitter)

A árbitra Eliete Maria Fontenele foi agredida a socos durante uma partida de futebol nesta segunda-feira, 3, na Universidade Federal do Delta do Parnaíba, braço da Federal do Piauí (UFPI). O agressor foi identificado como Rodrigo Quixaba, estudante da instituição e presidente do Centro Acadêmico de Engenharia de Pesca (CAEP-UFPI).

Eliete é árbitra amadora e foi convidada para apitar a partida pelo campeonato de futsal masculino da UFPI. Depois de uma confusão entre os dois times, como se pode ver nas imagens, Eliete expulsou dois jogadores da quadra, incluindo aquele que seria seu agressor.

Logo em seguida, Rodrigo lhe desfere três socos e ela cai. Torcedores gravaram o momento e publicaram nas redes sociais. Eliete ficou com ferimentos na boca. Após o ocorrido, o estudante desativou sua conta no Instagram.

A árbitra registrou boletim de ocorrência na central de flagrantes de Parnaíba e foi encaminhada para um exame de corpo de delito.

O CAEP-UFPI repudiou o ato e anunciou o desligamento do agressor da presidência. “Lamentamos o ocorrido e esperamos fielmente que as devidas providências legais sejam tomadas, respondendo deste modo as consequências de seus atos”, diz o comunicado.

Além disso, a diretoria do campus declarou que instaurou sindicância para apurar o caso e tomar providências legais. O campeonato e demais atividades na quadra esportiva foram suspensos até a conclusão da apuração do ocorrido. O POVO Online não conseguiu contato com o estudante Rodrigo Quixaba.

Redação O POVO Online