PUBLICIDADE
Notícias

Sambistas e doadores de sangue saem em campanha para reforçar estoques

09:00 | 26/02/2019
O samba vai se misturar à doação de sangue em três ações previstas para esta semana nas ruas do centro do Rio de Janeiro. Segundo o Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti (Hemorio), a meta é atingir a marca de 7 mil doadores até o fim desta semana, número que não é atingido há 20 anos.  

Amanhã (26), pelo quinto ano consecutivo, o bloco Vem Doar pra Mim, do Instituto Arcádia, sai pelas ruas do centro convidando cariocas e turistas a fazer parte de uma ação para aumentar o número de doadores de sangue para o IHemorio. A concentração é na Candelária, de onde os integrantes do bloco saem às 9h para uma caminhada pela calçada da Avenida Presidente Vargas até o Campo de Santana. Dali, eles seguem até o instituto.

O objetivo é atrair mais doadores de sangue para abastecer o Hemorio no carnaval, disse à Agência Brasil o coordenador do bloco e do Instituto Arcádia, Alexandre Sapucaia. No local da concentração, o bloco distribuirá gratuitamente 200 abadás às pessoas interessadas em aderir à campanha do Hemorio. No ano passado, o Vem Doar pra Mim levou até o instituto 500 foliões que foram se juntando ao bloco ao longo do trajeto. “A expectativa é superar a marca de 2018”, disse Sapucaia.

Homenagem a Boechat

Ritmistas da bateria da Escola de Samba Beija Flor de vão comandar a animação dos foliões do bloco, que, ao chegar à porta do Hemorio, prestarão homenagem ao jornalista Ricardo Boechat, morto em acidente de helicóptero, no dia 11 deste mês, em São Paulo. Com o auxílio de pernas de pau, o bloco vai estender uma faixa de 2 metros de altura com o rosto de Boechat que, segundo Alexandre Sapucaia, era um grande incentivador da doação de sangue.

Carioca Sangue Bom

Carioca Sangue Bom é o nome da campanha que a cervejaria Antarctica promove neste carnaval, em parceria com o Hemorio, convidando os cariocas a doar. sangue As doações feitas serão  na quarta-feira (27) nos hemocentros participantes e em um posto que será montado na Cinelândia, no centro da cidade. Para incentivar as pessoas a participar da campanha, serão distribuídos mil cartões com crédito em passagens de metrô e de ônibus para que elas possam aproveitar os cinco dias da festa. O posto de doação funcionará das 8h às 17h.

Os demais postos onde poderão ser feitas doações de sangue são o Serum - Banco de Sangue, situado na Rua Riachuelo, 43, centro; Hemocentro São Lucas - Terapia Celular, na Rua Manuela Barbosa, 50, Méier; Hemolad - Hospital São Francisco, Rua Conde de Bonfim, 1.033, Tijuca; Hemolad – Posto Bangu, Rua Francisco Real, 974, Bangu; Hematologistas Associados, Rua Conde de Irajá, 183, Botafogo; Núcleo de Hemoterapia Zona Sul - Instituto Nacional de Cardiologia, Rua das Laranjeiras, 374, Laranjeiras; Hemocentro Regional de Niterói - Hospital Universitário Antonio Pedro, Rua Marques do Paraná, 330, Niterói, região metropolitana do Rio; e no próprio Hemorio, Rua Frei Caneca, 8, centro.

Escolas de samba

A campanha feita em parceria com as escolas de samba do Grupo Especial Vista a Camisa da Solidariedade termina nesta semana. A iniciativa busca incentivar as doações de sangue durante o período do carnaval. Grandes escolas de samba do Rio de Janeiro participam da ação, levando ritmistas, passistas e casais de mestre sala e porta-bandeira para o salão de doação da unidade, no centro. Para amanhã está marcada apresentação de passistas e ritmistas das escolas Acadêmicos do Salgueiro e Beija Flor de Nilópolis.

Quem pode doar

Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto. Jovens de 16 e 17 anos também podem doar, mas precisam de autorização dos pais ou responsáveis legais. Devem portar ainda um documento de identidade do responsável. Não é necessário estar em jejum: basta evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes. Os voluntários não podem ter tido hepatite após os 10 anos, nem estar expostos a doenças transmissíveis pelo sangue, como sífilis, aids, hepatite e doenças de chagas. Mulheres grávidas ou que estejam amamentando e usuários de drogas não podem doar sangue.

Segundo o Hemorio, uma doação de sangue pode salvar até quatro pessoas, uma vez que o material é separado em diferentes hemocomponentes, como hemácias (glóbulos vermelhos), concentrado de plaquetas e plasma.

Agência Brasil