PUBLICIDADE
Notícias
QUEDA DE AERONAVE

Helicóptero que levava Ricardo Boechat não podia transportar passageiros

Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) abriu procedimento administrativo para apurar o tipo de transporte que estava sendo realizado no momento do acidente

21:27 | 11/02/2019
Acidente deixou duas vítimas nesta segunda-feira, 11 (Foto: Reprodução/TV Globo)
Acidente deixou duas vítimas nesta segunda-feira, 11 (Foto: Reprodução/TV Globo)

O helicóptero de matrícula PT-HPG, que caiu nesta segunda-feira, 11, em São Paulo, matando o jornalista Ricardo Boechat, 66, e o piloto do veículo, Ronaldo Quatrucci, pertencia a uma empresa não autorizada a transportar passageiros, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). As informações são da Folha de S. Paulo.

A RQ Serviços Aéreos Especializados Ltda estava habilitada para fazer aerofotografia, aeroreportagem e aerofilmagem, os chamados Serviços Aéreos Especializados (SAE). Em nota, a Anac informa que, além das citadas, qualquer outra atividade remunerada não poderia ser prestada. “Tendo em vista essas informações, a Anac abriu procedimento administrativo para apurar o tipo de transporte que estava sendo realizado no momento do acidente", afirmou.

De acordo com a agência, o helicóptero, da fabricante Bell Helicopter, estava em situação regular, com "Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até maio de 2023, e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até maio de 2019". As licenças e habilitações do piloto da aeronave também estavam válidas.

Segundo a Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero (Abraphe), Ronaldo Quatrucci tinha experiência de quase 20 anos como comandante e "seguiu à risca as doutrinas de segurança até o último momento, na tentativa de preservar a vida da tripulação a bordo do helicóptero".

O acidente aconteceu em uma alça de acesso do Rodoanel à av. Anhanguera, em São Paulo. Segundo relato de testemunhas ao Corpo de Bombeiros, a aeronave Bell Jet Ranger, um modelo de 1975, tentou fazer um pouso de emergência na via.

No entanto, acabou se chocando com um caminhão que tinha acabado de sair do pedágio. Logo em seguida, o helicóptero pegou fogo. Ainda não existe um diagnóstico sobre os problemas que levaram ao pouso de emergência.

O motorista do caminhão foi socorrido e teve ferimentos leves, segundo a Polícia Militar.