PUBLICIDADE
Notícias

Autópsia revela que argentino Sala morreu por lesões na cabeça e no tronco

16:31 | 11/02/2019
A morte do argentino Emiliano Sala foi provocada por lesões no tronco e na cabeça, sofridas na queda de seu avião. A autópsia realizada no corpo do jogador comprovou as causas do falecimento, que foram reveladas nesta segunda-feira pelo médico legista responsável pelo caso.
Sala teve a morte confirmada na última quarta-feira, depois que a polícia identificou como dele o corpo encontrado no Canal da Mancha, dentro dos destroços do avião em que estava. Outra pessoa que estava na aeronave, o piloto David Ibbotson continua desaparecido.
Investigador da região de Dorset responsável pelo caso, Brendan Allen explicou durante entrevista coletiva nesta segunda que a investigação pode levar até 12 meses para ser concluída.
Sala e Ibbotson estavam a bordo do avião que desapareceu do radar no Canal da Mancha em 21 de janeiro, em voo que ia da cidade francesa de Nantes para Cardiff, a capital do País de Gales. O corpo do jogador, no entanto, só foi resgatado na noite de quarta (horário de Brasília) pela Agência de Investigação de Acidentes Aéreos da Grã-Bretanha (AAIB, na sigla em inglês).
Os restos da aeronave foram localizados no domingo anterior, após a família do jogador levantar fundos para iniciar uma busca privada com David Mearns, um especialista norte-americano em detecção de naufrágios, em colaboração com investigadores britânicos. Antes, buscas haviam sido feitas pelas autoridades britânicas, mas posteriormente foram interrompidas.
TREINOS CANCELADOS - Time que seria o destino do atacante argentino, o Cardiff City cancelou um período de quatro dias de treinamentos em Tenerife, na Espanha, nesta semana.
Depois de derrotar o Southampton por 2 a 1, no último sábado, fora de casa, pelo Campeonato Inglês, o Cardiff City só voltará a jogar no próximo dia 22 contra o Watford. Assim, usaria essa semana livre para realizar treinamentos em Tenerife, nas Ilhas Canárias, na Espanha, para aproveitar um local com mais calor que o inverno rigoroso na Grã-Bretanha.
"Depois de tudo o que se passou no clube nestes últimos dias, prefiro abraçar meus filhos e ver minha esposa. Todos pensarão no que aconteceu e verão que a família é mais importante que o futebol", afirmou Neil Warnock, o treinador do Cardiff City.
TAGS