Participamos do

Ligue 180 registra mais de 79 mil denúncias de violência contra mulher no 1º semestre de 2018

O Ligue 180 é a central de atendimento à mulher, cujo serviço funciona todos os dias e por 24 horas
15:13 | Ago. 15, 2018
Autor Wanderson Trindade
Foto do autor
Wanderson Trindade Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
[FOTO1]A violência de gênero ainda persiste no Brasil. Dados divulgados na segunda-feira, 13, pelo Ministério dos Direitos Humanos (MDH), mostram que esta problemática apresenta números preocupantes de agressões contra mulheres. Balanço do Ligue 180 revela que 79.661 denúncias foram registradas somente no primeiro semestre deste ano.

O Ligue 180 é a central de atendimento à mulher, cujo serviço é oferecido pelo MDH e funciona por 24 horas, todos os dias, incluindo feriados e fins de semana, no Brasil e no Exterior. Entre os meses de janeiro e junho, os relatos registrados preocupam e expõem a gravidade das violências sofridas por mulheres em todo o País.

Divididas em 12 tipos, as agressões vão de casos de feminicídios e tráfico de pessoas ao cárcere privado e assédio no esporte. No primeira metade de 2018, a violência física e a psicológica foram as que assinalaram o maior número de casos, com 37.396 e 26.527, respectivamente.

Do total de relatos, a grande maioria foi considerada como violência doméstica. Isto é, das 79.661 denúncias recebidas, 63.116 queixas foram de violências sofridas no contexto doméstico.
[SAIBAMAIS]
O Ligue 180 recebe as denúncias de violência e, conduzindo o atendimento de forma humanizada, acolhe e registra as manifestações. Ele faz ainda os encaminhamentos e divulga informações sobre a Lei Maria da Penha, os Direitos da Mulher e seu amparo legal.

Em nota divulgada na segunda-feira, o ministro do MDH, Gustavo Rocha, informou que o objetivo do órgão é possibilitar o acesso aos serviços públicos, ao passo que garanta os direitos e a dignidade, “de forma a reduzir os índices de violência contra as mulheres”. 

A secretária nacional de Políticas para Mulheres, Andreza Colatt, ressalta a importância do uso da central de atendimento para acabar com o “ciclo de violência” de gênero. “O Ligue 180 se consolida como uma ferramenta acessível a todas as mulheres e sociedade em geral. É um recurso que pode salvar vidas e possibilitar o fim de um ciclo de violências”, disse.

Disponível no Brasil e em mais 16 países (Argentina, Bélgica, Espanha, EUA, França, Guiana Francesa e Inglesa, Holanda, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, Noruega, Paraguai, Portugal, Suíça, Uruguai e Venezuela), o serviço pode ser acionado por toda e qualquer violência contra a mulher pelo número 180 ou pelo e-mail [email protected] A ligação é gratuita.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente