PUBLICIDADE
Notícias

Guerrilha sertaneja: a estratégia de combate de Lampião

A longevidade de Virgolino como maior bandido dos sertões se explica em grande parte por estratégias que consistiam em lutar apenas quando em condições favoráveis, fugir quando o cenário se tornava desfavorável, esconder os rastros e manter ampla política de alianças. Métodos semelhantes às guerrilhas, mas desprovidas do caráter político

20:56 | 27/07/2018
NULL
NULL
A rede de relações e as estratégias de combate são os principais fatores para explicar o sucesso tão duradouro de Lampião como maior criminoso dos sertões. Ele mantinha alianças que iam desde vaqueiros até importantes proprietários de terra, passando pela igreja, policiais e políticos importantes. Isso dava a ele importante barreira de proteção.
[SAIBAMAIS] 
Todavia, os inúmeros combates diretos travados contra policiais e civis e os tiroteios ao atacar cidades e povoados mostram que Virgolino Ferreira da Silva precisou dominar a arte de guerrear. Ia muito além da força, da brutalidade e de saber atirar - atributos por certo indispensáveis, mas insuficientes. Para o historiador Billy Jaynes Chandler, a forma de lutar se aproxima das estratégias de luta de guerrilha. Não no sentido clássico, relacionado à luta por motivação política. Mas, certamente, pelos canais usados.

Lampião se valeu de estratagemas que envolviam esperteza e método. O ponto de partida de tudo era a informação e conhecimento do campo de batalha.

[FOTO1]

Ao mesmo tempo em que ter informação era decisivo, evitar que o inimigo obtivesse também era. Atributo crucial era a capacidade de esconder os vestígios de por onde passaram. Não ser encontrado era elemento crucial. 

[FOTO2]

A maneira de organizar a tropa era outro fator decisivo para o sucesso. O grupo se dividia para ter velocidade e despistar e se reunia para demonstrar força ou quando era conveniente à estratégia. Ilude-se quem pensa que Lampião era tipo do combatente que não abandonava uma briga. Não teria sobrevivido por 16 anos no comando do crime dos sertões não fosse o fato de fugir quando em desvantagem. Nem entrava em confronto se as condições não estavam a seu favor e, quando o cenário se mostrava desfavorável, tratava de escapar. Não raro era tachado de covarde.
 
[FOTO3] 
 
Além de despistar, minar os adversários e exaurir seus recursos foi outra receita do "rei do Cangaço.

[FOTO4]

O componente político e de relacionamento era complemento determinante nesse jogo estratégico no qual não lutar era melhor que lutar e fugir era melhor que morrer em combate. Havia muitos criminosos em posição de poder e prestígio para viabilizar o banditismo de Lampião.
 
[FOTO5] 
 
Os percursos de Lampião pelos sertões:
 
[VIDEO1] 
 
Linha do tempo:
 
[VIDEO2] 
TAGS