PUBLICIDADE
Notícias

Advogada morre ao cair do 4º andar de prédio; Polícia investiga feminicídio

Segundo laudo, causa da morte de Tatiane Spitzner, 29, foi queda. Vizinhos do apartamento escutaram gritos de uma discussão e pedidos de socorro

16:55 | 22/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1]Feminicídio pode ter sido a causa da morte da advogada Tatiane Spitzner, 29, na madrugada deste domingo, 22. Ela foi encontrada morta após cair do quarto andar de prédio no Centro de Guarapuava, na região central do Paraná, segundo informa a a Polícia Militar (PM). Laudo aponta que a mulher morreu devido à queda. Polícia Civil investiga a hipótese de o marido dela ter cometido o crime. As informações são da G1.

De acordo com relatório, agentes da PM receberam a informação de que uma mulher "teria pulado ou sido jogada da sacada de um edifício, caindo na calçada" por volta das 3 horas. Moradores do apartamento vizinho relataram aos policiais terem escutado gritos de uma discussão e uma mulher pedindo por socorro. A vizinha ainda contou tê-la visto chorando na sacada do apartamento. 
[SAIBAMAIS]
Conforme o boletim, os policiais encontraram muito sangue na calçada ao chegarem no local e foram informados que um homem tinha carregado a vítima no colo para dentro do prédio. No apartamento do casal, havia rastros de sangue. Tatiane foi encontrada com muito sangue na região cabeça. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas ela já estava morta, diz o boletim.

O marido da advogada foi detido na manhã deste domingo, 22, após sofrer um acidente na rodovia BR-277, em São Miguel do Iguaçu, a 340 quilômetros de Guarapuava. Câmeras de segurança mostraram o homem saindo do prédio em um carro branco. Segundo a PM, ele deixou o carro e caminhava próximo a linha Catiporam, sentido Foz do Iguaçu, quando foi localizado. Ele foi encaminhado para a delegacia da cidade, onde foi ouvido.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Subseção de Guarapuava, lamentou o falecimento de Tatiane em nota e pediu às autoridades a elucidação do caso o mais breve possível. "A OAB Guarapuava se solidariza com os familiares e amigos, pedindo conforto a seus corações e forças para transformar a dor da perda em esperança. Transmitimos nossos mais profundos sentimentos", comunicou.
 
Redação O POVO Online 
TAGS
Advogada morre ao cair do 4º andar de prédio; Polícia investiga feminicídioNotícias do Brasil
PUBLICIDADE
Notícias

Advogada morre ao cair do 4º andar de prédio; Polícia investiga feminicídio

Segundo laudo, causa da morte de Tatiane Spitzner, 29, foi queda. Vizinhos do apartamento escutaram gritos de uma discussão e pedidos de socorro

16:55 | 22/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1]Feminicídio pode ter sido a causa da morte da advogada Tatiane Spitzner, 29, na madrugada deste domingo, 22. Ela foi encontrada morta após cair do quarto andar de prédio no Centro de Guarapuava, na região central do Paraná, segundo informa a a Polícia Militar (PM). Laudo aponta que a mulher morreu devido à queda. Polícia Civil investiga a hipótese de o marido dela ter cometido o crime. As informações são da G1.

De acordo com relatório, agentes da PM receberam a informação de que uma mulher "teria pulado ou sido jogada da sacada de um edifício, caindo na calçada" por volta das 3 horas. Moradores do apartamento vizinho relataram aos policiais terem escutado gritos de uma discussão e uma mulher pedindo por socorro. A vizinha ainda contou tê-la visto chorando na sacada do apartamento. 
[SAIBAMAIS]
Conforme o boletim, os policiais encontraram muito sangue na calçada ao chegarem no local e foram informados que um homem tinha carregado a vítima no colo para dentro do prédio. No apartamento do casal, havia rastros de sangue. Tatiane foi encontrada com muito sangue na região cabeça. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado, mas ela já estava morta, diz o boletim.

O marido da advogada foi detido na manhã deste domingo, 22, após sofrer um acidente na rodovia BR-277, em São Miguel do Iguaçu, a 340 quilômetros de Guarapuava. Câmeras de segurança mostraram o homem saindo do prédio em um carro branco. Segundo a PM, ele deixou o carro e caminhava próximo a linha Catiporam, sentido Foz do Iguaçu, quando foi localizado. Ele foi encaminhado para a delegacia da cidade, onde foi ouvido.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Subseção de Guarapuava, lamentou o falecimento de Tatiane em nota e pediu às autoridades a elucidação do caso o mais breve possível. "A OAB Guarapuava se solidariza com os familiares e amigos, pedindo conforto a seus corações e forças para transformar a dor da perda em esperança. Transmitimos nossos mais profundos sentimentos", comunicou.
 
Redação O POVO Online 
TAGS