PUBLICIDADE
Notícias

"Ele disse que iria brigar com tubarão", relatou bombeiro após resgate

Sargento Santana conversou com um amigo de José Ernesto. A vítima disse, antes de entrar no mar, que iria desafiar o tubarão

13:02 | 05/06/2018
NULL
NULL

[FOTO1]Com 10 anos de atuação no Corpo de Bombeiros, o sargento Carlos César Santana, 34 anos, não hesitou em entrar no mar de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, no último domingo, para resgatar o estudante José Ernesto Ferreira da Silva, 18, vítima de um ataque de tubarão.

 

O salva-vidas não estava usando o repelente de tubarão e mesmo assim arriscou a sua vida para retirar o rapaz da água. José Ernesto morreu na madrugada desta segunda-feira no Hospital da Restauração, no Derby, área central do Recife. Foi o sargento Santana que também participou do resgate de Pablo Diego Inácio de Melo, atacado no mesmo local em 15 de abril. Pablo teve uma mão e uma perna amputados.

 

“Estava perto de terminar o serviço. Avistei o rapaz (José Ernesto) numa área de risco. Quando me deslocava para pedir para ele sair da água houve o ataque. Eu já estava dentro do mar. Percebi que dava para entrar e corri para retirá-lo. Não dá pra pensar muito, meu objetivo é salvar vidas, é o meu trebalho. Não daria tempo para pegar o repelente”, relatou o bombeiro.

 

[VIDEO1]Segundo o sargento Santana, um dos amigos de José Ernesto comentou, após o episódio, que a vítima teria dito que iria entrar no mar para desafiar os tubarões. “Depois que o rapaz foi socorrido conversei com um colega dele. Ele disse que Ernesto falou ‘vou entrar para ver se o tubarão me pega, vou brigar com ele’. Infelizmente aconteceu a fatalidade”, destacou o salva-vidas.

 

Advertência

 Para o oficial, os banhistas deveriam respeitar as placas de advertência de ataque de tubarão. “Espero que sirva como exemplo e as pessoas tomem consciência. Não é aconselhado o banho de mar em área aberta como existe aqui em Piedade. Nós salva-vidas estamos na praia para guardar a vida das pessoas. Muita gente bebe, consome drogas e não se conscientiza do risco que corre. Avisamos, pedimos para sair mas não atendem”, enfatizou o sargento Santana.

 

[VIDEO2]O repelente de tubarão é um sensor que emite ondas eletromagnéticas num raio de até cinco metros para proteger quem o usa. Fica preso no tornozelo da pessoa. O Corpo de Bombeiros de Pernambuco tem 10 aparelhos, um para cada posto de salvamento existente entre a Praia de Zé Pequeno (Bairro Novo), em Olinda, até a Praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho.

 

JC Online 

Via Rede Nordeste 

TAGS
"Ele disse que iria brigar com tubarão", relatou bombeiro após resgateNotícias do Brasil
  • Divirta-se
  • Vida & Arte
  • Vídeos
  • PUBLICIDADE
    Notícias

    "Ele disse que iria brigar com tubarão", relatou bombeiro após resgate

    Sargento Santana conversou com um amigo de José Ernesto. A vítima disse, antes de entrar no mar, que iria desafiar o tubarão

    13:02 | 05/06/2018
    NULL
    NULL

    [FOTO1]Com 10 anos de atuação no Corpo de Bombeiros, o sargento Carlos César Santana, 34 anos, não hesitou em entrar no mar de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, no último domingo, para resgatar o estudante José Ernesto Ferreira da Silva, 18, vítima de um ataque de tubarão.

     

    O salva-vidas não estava usando o repelente de tubarão e mesmo assim arriscou a sua vida para retirar o rapaz da água. José Ernesto morreu na madrugada desta segunda-feira no Hospital da Restauração, no Derby, área central do Recife. Foi o sargento Santana que também participou do resgate de Pablo Diego Inácio de Melo, atacado no mesmo local em 15 de abril. Pablo teve uma mão e uma perna amputados.

     

    “Estava perto de terminar o serviço. Avistei o rapaz (José Ernesto) numa área de risco. Quando me deslocava para pedir para ele sair da água houve o ataque. Eu já estava dentro do mar. Percebi que dava para entrar e corri para retirá-lo. Não dá pra pensar muito, meu objetivo é salvar vidas, é o meu trebalho. Não daria tempo para pegar o repelente”, relatou o bombeiro.

     

    [VIDEO1]Segundo o sargento Santana, um dos amigos de José Ernesto comentou, após o episódio, que a vítima teria dito que iria entrar no mar para desafiar os tubarões. “Depois que o rapaz foi socorrido conversei com um colega dele. Ele disse que Ernesto falou ‘vou entrar para ver se o tubarão me pega, vou brigar com ele’. Infelizmente aconteceu a fatalidade”, destacou o salva-vidas.

     

    Advertência

     Para o oficial, os banhistas deveriam respeitar as placas de advertência de ataque de tubarão. “Espero que sirva como exemplo e as pessoas tomem consciência. Não é aconselhado o banho de mar em área aberta como existe aqui em Piedade. Nós salva-vidas estamos na praia para guardar a vida das pessoas. Muita gente bebe, consome drogas e não se conscientiza do risco que corre. Avisamos, pedimos para sair mas não atendem”, enfatizou o sargento Santana.

     

    [VIDEO2]O repelente de tubarão é um sensor que emite ondas eletromagnéticas num raio de até cinco metros para proteger quem o usa. Fica pr

  • BPOP
  • Assine
  • PUBLICIDADE
    Notícias

    "Ele disse que iria brigar com tubarão", relatou bombeiro após resgate

    Sargento Santana conversou com um amigo de José Ernesto. A vítima disse, antes de entrar no mar, que iria desafiar o tubarão

    13:02 | 05/06/2018
    NULL
    NULL

    [FOTO1]Com 10 anos de atuação no Corpo de Bombeiros, o sargento Carlos César Santana, 34 anos, não hesitou em entrar no mar de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, no último domingo, para resgatar o estudante José Ernesto Ferreira da Silva, 18, vítima de um ataque de tubarão.

     

    O salva-vidas não estava usando o repelente de tubarão e mesmo assim arriscou a sua vida para retirar o rapaz da água. José Ernesto morreu na madrugada desta segunda-feira no Hospital da Restauração, no Derby, área central do Recife. Foi o sargento Santana que também participou do resgate de Pablo Diego Inácio de Melo, atacado no mesmo local em 15 de abril. Pablo teve uma mão e uma perna amputados.

     

    “Estava perto de terminar o serviço. Avistei o rapaz (José Ernesto) numa área de risco. Quando me deslocava para pedir para ele sair da água houve o ataque. Eu já estava dentro do mar. Percebi que dava para entrar e corri para retirá-lo. Não dá pra pensar muito, meu objetivo é salvar vidas, é o meu trebalho. Não daria tempo para pegar o repelente”, relatou o bombeiro.

     

    [VIDEO1]Segundo o sargento Santana, um dos amigos de José Ernesto comentou, após o episódio, que a vítima teria dito que iria entrar no mar para desafiar os tubarões. “Depois que o rapaz foi socorrido conversei com um colega dele. Ele disse que Ernesto falou ‘vou entrar para ver se o tubarão me pega, vou brigar com ele’. Infelizmente aconteceu a fatalidade”, destacou o salva-vidas.

     

    Advertência

     Para o oficial, os banhistas deveriam respeitar as placas de advertência de ataque de tubarão. “Espero que sirva como exemplo e as pessoas tomem consciência. Não é aconselhado o banho de mar em área aberta como existe aqui em Piedade. Nós salva-vidas estamos na praia para guardar a vida das pessoas. Muita gente bebe, consome drogas e não se conscientiza do risco que corre. Avisamos, pedimos para sair mas não atendem”, enfatizou o sargento Santana.

     

    [VIDEO2]O repelente de tubarão é um sensor que emite ondas eletromagnéticas num raio de até cinco metros para proteger quem o usa. Fica preso no tornozelo da pessoa. O Corpo de Bombeiros de Pernambuco tem 10 aparelhos, um para cada posto de salvamento existente entre a Praia de Zé Pequeno (Bairro Novo), em Olinda, até a Praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho.

     

    JC Online 

    Via Rede Nordeste 

    TAGS
    4 eleições

    Perdeu o debate entre candidatos a presidente no SBT? Assista aqui

  • 5 ELEIÇÕES 2018

    Bolsonaro e Haddad oscilam para baixo na nova pesquisa Ibope

  • Destaques do dia

    • Imóveis
    • Veículos