PUBLICIDADE
Brasil
Minas Gerais

Policial é suspeito de matar mulher e as duas filhas dela em Minas Gerais

As vítimas são uma mulher e suas duas filhas; ele teria sido preso anteriormente por abusar sexualmente das duas filhas

23:01 | 16/05/2018
Um policial civil de 40 anos é suspeito de assassinar uma mãe e duas de suas filhas, na madrugada dessa terça, 15, em Minas Gerais. Ele estava preso na Casa de Custódia da Polícia Civil em Belo Horizonte, mas fugiu e, em seguida, invadiu uma casa onde teria cometido os assassinatos. Após o crime, ele se matou. A motivação dos homicídios teria sido vingança. As informações são do Jornal Estado de Minas.

Paulo José de Oliveira estava preso desde 27 de julho de 2017, segundo informações que constam no boletim de ocorrência da Polícia Militar. Ele fugiu, invadiu a casa de Luciana Carolina Petronilho para assassinar ela, Nathalia Diovana Petronilho, 18 anos, e Victoria Regina Graciane Petronilho, 15 anos.

Quando a Polícia chegou ao local, encontrou as três vítimas mortas e Paulo caído próximo aos estilhaços, com uma arma em punho. Ele foi levado ao hospital, mas faleceu em decorrência de um tiro que ele próprio deferiu contra a cabeça.

O marido de Luciana disse aos militares que estava dormindo quando escutou um barulho no portão, que o despertou. Logo depois ele já se deparou com o assassino armado dentro de casa. Paulo mandou que o homem saísse da casa junto com a terceira filha de Luciana, de 22 anos, para que os dois não fossem mortos também. Paulo então seguiu para as três vítimas, matando todas com disparos na região da cabeça. Em seguida, atirou em si mesmo.

A motivação do triplo assassinato, segundo o marido de Luciana, seria a condenação de Paulo José pelo crime de estupro praticado contra as duas jovens que foram assassinadas. 
 

Redação O POVO Online