PUBLICIDADE
Notícias

Papa reconhece milagre de madre italiana no Brasil; Clélia Merloni deverá se tornar beata

19:55 | 02/02/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
O papa Francisco reconheceu um milagre acontecido no Brasil em 1951. Atribuído à freira italiana Clélia Merloni (1861-1930), o milagre seria a cura de um homem com doença degenerativa que teria sido intercedido pela religiosa, em Ribeirão Preto-SP.

Segundo a Igreja Católica, um médico com síndrome de Guillain-Barré (também chamada de síndrome de Landry), doença que leva ao enfrequecimento progressivo dos músculos, foi curado graças à intercessão da italiana. O suposto milagre pode permitir que em breve madre Clélia seja beatificada.

O reconhecimento da intercessão foi anunciado por Francisco durante reunião com o prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, cardeal Angelo Amato, em 26 de janeiro.

A freira italiana falecida em 1930, foi fundadora do Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, que tem no Brasil uma de suas principais bases.

A causa de madre Clélia foi aberta em 1988, mas ainda não há prazo para realização do consistório que a tornará beata.

Milagre
 
Segundo a Igreja, a esposa do médico com a síndrome degenerativa pediu ajuda a uma freira, Adelina Alvez Barbosa, que recomendou uma novena a madre Clélia e deu à mulher do paciente alguns fios do hábito que a futura beata usava.

Com um pouco de água, a esposa conseguiu fazer seu marido engolir a relíquia, e logo ele teria começado a se recuperar. Em 20 dias, o médico já caminhava normalmente, sem sequelas. Ele morreria em 25 de setembro de 1986, de parada cardíaca.
 
Fonte: Ansa 
TAGS