PUBLICIDADE
Notícias

"Eu não sei o que vai ser daqui pra frente sem ela", diz mãe de youtuber morta com tiro na cabeça

Rosania Santos afirmou que não perdoa autores do crime

10:25 | 16/02/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
"Acabaram com a minha vida. Não está sendo fácil para mim, vendo minha filha ser velada agora, com 14 anos, com tudo pela frente, cheia de sonho", lamentou Rosania Santos, mãe da youtuber assassinada na última quarta-feira, 12. Isabelly Cristine Santos foi atingida com um tiro na cabeça quando voltava para casa acompanhada da mãe e dois assessores após gravações do seu canal, no litoral do Paraná.  
 
"Eles tiraram a vida da minha filha, tiraram meu bem maior, o meu amor, a minha vida. Eu não sei o que vai ser daqui pra frente sem ela, não sei, porque ela era minha melhor amiga, minha companheira", completou a mãe. À TV local RPC, a mãe de Isabelly relata que não compreende a motivação do crime.
 
"Eu não entendo até agora o por quê foi feito isso. Eles dois acabaram com o sonho de uma menina de 14 anos", disse sobre os suspeitos, os irmãos Everton e Cleverson Vargas. Também em entrevista à RPC, os acusados afirmaram que o disparo foi um ato decorrente do “instinto de defesa”. 
"Não perdoo. Posso perdoar muito mais para frente, mas sinto muito, mas eu não perdoo", afirmou a mãe.
[SAIBAMAIS]
O canal de Isabelly no Youtube acumulava mais de 29 mil inscritos, e somou, no começo do ano, mais de 3 milhões de visualizações. 
 
Tragédia
De acordo com a Polícia Militar, os tiros ocorreram por volta das 1h50min da última quarta-feira após uma briga de trânsito, na qual homens que estavam em outro veículo atiraram contra o carro em que Isabelly e sua mãe estavam. A suspeita é de que os atiradores tenham se desentendido com o motorista de um outro veículo, mas atingiram o carro de Isabelly por engano. Não houve outros feridos. 

O irmão do suspeito e um adolescente que estavam com ele no momento da prisão, são investigados pela polícia para saber se serão liberados ou tiveram participação no crime. A arma utilizada pelo suspeito é legal. 
 
 
Redação O POVO Online 
TAGS