PUBLICIDADE
Notícias

Decolar.com é acusada de manipular preços de acordo com a localização do usuário

MP do Rio constatou que, conforme a origem geográfica do consumidor, as ofertas eram modificadas. Brasileiros chegam a ter um acréscimo de 49% nos valores cobrados

10:51 | 06/02/2018
NULL
NULL
[FOTO1]Após 18 meses de investigações, o Ministério Público do Rio de Janeiro entrou com uma ação contra a maior empresa de vendas de passagens aéreas e hospedagens on-line da América Latina, a Decolar.com, acusando-a de manipular as ofertas de acordo com a localização do usuário. As informações são do blog do jornalista Lauro Jardim. 
 
Para constatar a irregularidade, os procuradores fizeram simulações idênticas de compras no Brasil e Argentina durante as Olimpíadas do Rio, em maio de 2016. No entanto, as acomodações ofertadas aos argentinos estavam bloqueadas para os brasileiros. Durante o teste, também foi notada a diferença de preço quando as ofertas eram abertas aos dois países, chegando a 30% a mais para os brasileiros.
 
No ano seguinte, o aumento de preço nas ofertas direcionadas aos clientes no Brasil chegava a 49%. As operações foram realizadas por tabeliães em cartórios de notas da capital fluminense e em Buenos Aires.  
 
No site de avaliações Reclame Aqui, o Decolar.com acumula mais de 16 mil reclamações. As principais queixas são de cobranças indevidas, valores abusivos e divergências nos preços.
 
Em resposta, a empresa se limitou a dizer que "não comenta ações judiciais". 
 
Redação O POVO Online  
TAGS