PUBLICIDADE
Notícias

Noivos levam calote de R$ 30 mil e têm festa improvisada

Para tornar o sonho do casamento possível, o casal afirmou que teve a ajuda de padrinhos e da família. Os convidados compraram a comida, os doces, as bebidas e ajudaram a preparar alimentos para a festa

19:20 | 27/11/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Um casal de noivos denunciou ter levado um calote de R$ 30,9 mil e ter o sonho de se casar destruído no sábado, 25, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá. Luana Mores Barbosa, de 19 anos, e Magno Rodrigues, de 23 anos, encontraram o local de casamento sem decoração e nenhum outro tipo de serviço contratado pela empresa "Evento 7".

Para tornar o sonho do casamento possível, o casal afirmou que teve a ajuda de padrinhos e da família. Os convidados compraram a comida, os doces, as bebidas e ajudaram a preparar alimentos para a festa. O DJ, também sem ter recebido pagamento, tocou de graça na festa, além do buquê, também improvisado.

[FOTO2] 

A mãe de Luana registrou boletim de ocorrência na polícia nesta segunda-feira, 27. A reportagem do G1 tentou estabelecer contato com a empresa, mas os dois celulares disponíveis estavam desligados. 

Luana afirma que encontrou a página da empresa em uma rede social há mais de seis meses e gostou das fotos de outros casamentos. Ela entrou em contato com o dono da empresa e começou a fechar o contrato. O momento era um sonho para Luana, esperado também por sua mãe, que vendeu a casa para pagar o casamento. "Meu casamento era pra ter sido maravilhoso", diz.

[FOTO3]

A noiva diz que a solidariedade dos convidados, dos padrinhos e da família, que encontraram o espaço do evento sem nada, fez com que a cerimônia acontecesse. A festa aconteceu de graça e de última hora. A cerimonialista conseguiu comprar flores e decoração de última hora. “Meus padrinhos foram no mercado e compraram todos os doces, gastaram mais de R$ 1 mil. A pastora da igreja comprou comida e foi fazer para os convidados. Conseguimos alugar pratos e detalhes de última hora”, explica.

Quando finalmente os noivos conseguiram falar com o dono da empresa, o questionaram sobre o que havia acontecido, além de dizer que ele tinha acabado com o sonho deles. O homem não se justificava, só pedia desculpa.

Após o desespero, os noivos souberam que outras pessoas já tinham sofrido calotes com a mesma empresa. A noiva diz que entrou no casamento chorando, assim como o noivo e os convidados. "Essas pessoas e amigos são anjos na minha vida, ninguém faria isso por mim. (...) Nunca vou esquecer", concluiu.

Os noivos selaram a união três horas depois do que estava previsto. Apesar do calote, eles viajaram para a lua de mel em Maceió.

 

Redação O POVO Online

TAGS