PUBLICIDADE
Notícias

"Princesona' e "Amorzão" culpam tradutor após gafe em passagem

Apesar dos apelidos terem sido revelados, os dois permaneciam no anonimato até essa sexta-feira, 22, quando apresentaram as identidades

10:19 | 23/09/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

“Princesona" e "Amorzão", que ficaram conhecidos depois que tiveram os apelidos íntimos registrados em uma passagem aérea culparam o tradutor automático do celular pela gafe. Ao comprar o bilhete para a capital francesa, Paris, na Europa, o casal tratou o campo "apelido" como "um simples código de segurança".

A fisioterapeuta Mariana Chicolet, 26 anos, e o advogado Renan Contrim, 24 anos, de Santos, no litoral de São Paulo, se confundiram ao reservar as passagens para a viagem. Ao realizarem o procedimento pelo site da empresa aérea no início da semana, os campos de preenchimento foram apresentados no idioma português, mas de Portugal.

"As passagens foram compradas por ela para me fazer uma surpresa. Só descobrimos o equívoco no cartão de embarque e quando recebemos o e-mail: 'Sra. Princesona e Sr. Armozão a reserva está confirmada'. Foi algo realmente hilário para nós desde o começo", disse Contrim ao G1, que mora há 9 meses em Dublin, na Irlanda. "Realmente foi um engano, que eu nunca imaginaria estar tomando essas proporções. Nós mesmos rimos da passagem e da situação", complementa Mariana, que vive com o namorado na Europa.

"Fomos totalmente surpreendidos com a repercussão, pois ainda estávamos viajando e inúmeras pessoas começaram a nos enviar mensagens de sites famosos compartilhando. Loucura", fala Renan. Apesar dos apelidos terem sido revelados, os dois permaneciam no anonimato até essa sexta-feira, 22, quando apresentaram as identidades.

[FOTO2] 

Para o G1, a Transavia, companhia holandesa do grupo Air France/KLM, explicou que os funcionários somente liberaram o embarque dos passageiros depois que todas as demais informações do passaporte foram checadas. Em casos semelhantes, a companhia explicou que alterações podem ser feitas até 2h antes dos voos.

Redação O POVO Online

TAGS