PUBLICIDADE
Brasil
São Paulo

Aos 87 anos, imigrante italiana se forma em Nutrição

Dona Luísa escreveu à mão todo o trabalho de conclusão do curso. Ela foi aplaudida de pé durante a colação de grau

11:17 | 14/09/2017
Dona Luísa posa para foto com diploma
Dona Luísa foi aplaudida durante colação de grau (Foto: Artfinal Eventos/Divulgação)
Luísa Valencic Ficara, de 87 anos, emocionou a plateia que assistiu à sua colação de grau no curso de Nutrição do Centro Universitário Padre Anchieta, na cidade de Jundiaí, em São Paulo. Os cabelos brancos e o sorriso tímido indicavam a emoção ao ser aplaudida enquanto recebia o diploma. 
 
"Fui contente por terminar a minha tarefa. Achei que fosse ficar nervosa quando fosse receber o diploma, mas na hora estava bem calma", disse a italiana ao G1. 
 
Dona Luísa nasceu na Itália e, durante a Segunda Guerra Mundial, veio para a América do Sul. Antes de se instalar em Jundiaí, onde vive há 40 anos, ela residiu em outros três países sul-americanos. 
 
A decisão pelo curso foi o caminho que a idosa encontrou para "ocupar a cabeça" depois de perder o marido e a irmã. 
 
Dona Luísa defende TCC frente à banca avalidadora
Dona Luísa defendeu o TCC que escreveu todo à mão (Foto: UniAnchieta/Divulgação)
Sem conhecimentos em informática, Dona Luísa escreveu à mão todo o trabalho de conclusão do curso sobre a cana-de-açúcar no Brasil. "O que me maltratou um pouco foi que eu não sabia nada de computação", explica. Ela teve ajuda dos funcionários da faculdade para digitar todo o TCC para ser defendido frente à banca examinadora. 
 
E quem pensa que a italiana encerra a vida acadêmica se engana. Luísa, que também escreve poemas e estuda alemão, inglês e francês, pretende iniciar a pós-graduação. 
 
Redação O POVO Online