PUBLICIDADE
Notícias

Polêmica está instalada no prédio onde mãe pendurou faixa reclamando da intromissão dos vizinhos

Patrícia tem uma filha já adulta, e teve problemas com o Conselho Tutelar durante a criação dela, há 15 anos

15:15 | 28/07/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Desde que Patrícia Monkem, 38, pendurou uma faixa na fachada do seu bloco em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio, a rua se dividiu. Uns lamentam as críticas feitas aos vizinhos pela técnica de enfermagem, alguns a defendem e outros não tomam partido. As informações são do portal Extra.

"Ela está errada. Espancava mesmo a filha mais velha. O passado a condena. Agora, tem que viver vigiada. Os vizinhos não podem nem mais brincar com o cabelo do menino que ela reclama", dispara a vizinha Mônica Alves, de 37 anos.

Patrícia tem uma filha já adulta, e teve problemas com o Conselho Tutelar durante a criação dela, há 15 anos. Ela se mudou, casou, separou e voltou a morar no antigo endereço em fevereiro. Hoje, tem um menino de dois anos que usa um rabo de cavalo louro, que chama a atenção da vizinhança.

Morando no apartamento em cima do de Patrícia, a pensionista Carmelita da Silva, 60, diz que não tem queixas contra Patrícia. "Eu autorizei ela a amarrar a faixa na minha janela por isso. A criança não chora mais do que o normal. Cada um tem seu jeito de educar", defende. "Se cada um ficasse no seu quadrado, acabariam os problemas. Isso serve para a Patrícia também. Se não desse bola, não estaria passando por isso", afirma Carmelita.

O vizinho do terceiro andar, o operador de produção Alex Rangel, 39, pede calma para analisar os fatos. "Eu fui testemunha de que ela batia na filha mais velha. Ela tinha problemas com muita gente aqui, pelo jeito explosivo dela. Mas nunca a vi levantar a mão para o menino, ela parece estar o criando bem", informa.

Em meio à toda confusão, Patrícia assegura que saber cuidar muito bem da criança, e reitera o que deseja para a comunidade. "Gato que tem sete vidas para cuidar. Gente, cada um que cuide da sua. Crio meu filho  bem. Ele está feliz e quero que o restante se exploda", afirma a moradora.

 

Redação O POVO Online

TAGS