PUBLICIDADE
Notícias

Anticoncepcional injetável para homens é desenvolvido por pesquisadores

O estudo apontou 96% de eficácia nos 320 homens que passaram pelos testes com o contraceptivo

18:45 | 04/11/2016
NULL
NULL

[FOTO1] O contraceptivo masculino está prestes a se tornar realidade. Desenvolvido e testado nos Estados Unidos (EUA), pela Faculdade de Medicina da Virgínia Oriental, o método injetável combina dois hormônios para suprir a produção de espermatozoides. As informações são da Folha de São Paulo.

 
Com 96% de eficácia nos testes, o contraceptivo teve sucesso nos testes de 266 casais. Ao todo, 320 homens em relação monogâmicas há pelo menos um ano fizeram o experimeto. A contagem de espermatozoides dos homens foi verificada no início do estudo, para garantir a normalidade do índices.


O estudo foi realizado no período de um ano em dez centros de pesquisas de oito países. Além dos EUA, participaram Austrália, Indonésia, Chile, Alemanha e Índia. Os homens receberam duas injeções de hormônios – progesterona e uma forma de testosterona – a cada oito semanas. Eles foram monitorados por até seis meses.


O anticoncepcional controlou a produção de espermatozoides até o ponto em que a gravidez não é possível. Segundo os especialistas, para manter a eficácia, as injeções precisam ser tomadas a cada dois meses.


Apesar dos avanços que o fármaco oferece, os efeitos colaterais ainda estão sendo aperfeiçoados, já que pode desencadear alterações hormonais. De acordo com o jornal, os participantes relataram alterações emocionais (30%), acne (quase 50%) e distúrbios sexuais (42%), como aumento ou redução da libido e, mesmo com esses feitos, 82% dos homens que participaram do estudo disseram que usariam um método contraceptivo desse tipo.

 

A pesquisa foi liderada por Mario Festin, da OMS (Organização Mundial da Saúde). Os resultados da pesquisa foram publicados na última semana no "Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism".

 

Redação O POVO Online

TAGS